Produtores de feijão dão aula de como ter sangue-frio

0
4
artverau (CC0), Pixabay

Publicado em 27/02/2019

Os grandes produtores de Feijão que já vêm fazendo média vendendo um pouco a cada semana, ou a cada novo patamar de preços, estão indecisos sobre vender ou não esta semana. Afinal de contas aconteceu um recuo nas cotações. Operadores experientes vêm unanimemente comentando que é muito provável que durante o mês de março aconteça uma aceleração de preços e que o patamar de R$400 por saco seja novamente ultrapassado. O que acontece é que um dos mais bem-sucedidos operadores nos últimos anos afirmou ontem que não especularia com mais do que 5% do seu estoque total, aguardando para vender no final de abril ou ainda no início do mês de maio. Essas afirmações ganham relevância quando partem de produtores ou comerciantes com o passado de sucessos alcançados em momentos de forte valorização dos preços. A última vez que isso ocorreu foi por volta da metade de 2016, no entanto aquele período deixou marcas naqueles que persistiram em tentar encontrar, com todo seu estoque, o pico de preços. Empacotadores de São Paulo relataram que estão atendendo parte da demanda por Feijões vermelho, preto e fradinho. O consumidor demonstra que ele gosta de Feijão e, quando Feijão-carioca está caro, ele não pensa duas vezes em variar com Feijões mais baratos.
Fonte IBRAFE