Utilização do milho safrinha após geada, para silagem

0
7

AgroPlan-UFG

David Luiz Grespan Neto

Diretor-Presidente da AgroPlan-UFG

 

De acordo com relatórios da SAFRAS & Mercado a área de milho safrinha no Brasil é de 5,351milhões de hectares, este aumento da área em função a temporada passada foi devido ao otimismo gerado no mercado pelo cereal. As estimativas iniciais projetavam aumento na produtividade da safra brasileira, porém devido a estiagem e a geada que ocorreu nos estados da região sul os números serão reduzidos.

Para o produtor que esperava poder contar com o grão para a sua comercialização, a incidência de geada,  pode provocar perdas significativas na produtividade e muitas vezes inviabilizando a sua venda. Sendo assim a silagem , acaba se tornando uma opção interessante para o produtor rural. A dúvida que surge é qual o melhor momento para realizar o processo de ensilagem.

O estágio de desenvolvimento do milho, terá efeito direto sobre  a qualidade da silagem,  sendo assim, quanto mais nova for a planta menor será a qualidade, devido ao menor teor de grãos. Além do processo de conservação ser dificultado devido ao alto teor de umidade, além  possibilitar a ocorrência  de bactérias do gênero Clostridium.

A fim de obter um produto bem homogêneo a qualidade do corte deve ser observado, recomenda-se afiar a ensiladeira duas vezes ao dia, a fim de evitar o entupimento do tubo de descarga.

A recomendação ideal seria fazer o processo de ensilagem com um teor de 32-38% de matéria seca, porém a geada pode obrigar o produtor a realizar o corte com menos de 25% de MS. O ponto ideal pode ser monitorado pela  “linha do leite” no grão, na maioria dos casos com a linha um pouco a mais que a metade do grão.

Mas se o estrago da geada impossibilitar fazer o corte na época exata,  pode-se utilizar produtos afim de elevar os teores de MS, para que o processo de fermentação ocorra de forma adequada.  Sendo assim, milho moído e farelo podem ser utilizados, a quantidade a ser incrementada, deve ser em função da umidade apresentada. O uso de sal e calcário deve-se ser evitado.

Deve-se fazer o processo de corte a uma altura de 25 a 30 cm do chão, a fim de evitar a contaminação com solo, já que este pode hospedar microorganismos que interferem no processo de fermentação. Mas  para uma  boa qualidade de silagem, não basta o cuidado com a planta somente, o  tempo de compactação no silo deve ser obeservado, Holmes & Muck (1999) recomendam  um tempo de 1,2 vezes o processo de corte da lavoura.Para a abertura do silo, recomenda-se esperar aproximadamente 30 dias após fechamento.

Dessa forma  podemos  minimizar os prejuízo da geada,  utilizando a silagem  como alimentação, sem deixar de se preocupar com a qualidade final do produto, afinal, os custos são altos, porém o retorno econômico da mesma deve ser buscado, observando os aspectos técnicos da cultura e a operação  de ensilamento.

Fonte: http://www.diadecampo.com.br/zpublisher/materias/Materia.asp?id=24864&secao=Manejo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here