Soja paraguaia também sofre com quebra

0
2
allybally4b (CC0), Pixabay

14/02/2019

A produção de soja do Paraguai, correspondente ao ciclo médio da safra 2018/2019, está enfrentando problemas de quebra da mesma forma que a soja precoce. De acordo com informações divulgadas pelo especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica, em seu boletim informativo diário, a quebra se deve aos múltiplos problemas climáticos que atingiram o país.

“Foi informada pelo Eng. Luis Cubilla, assessor da Câmara Paraguaia de Exportadores e Comerciantes de Cereais e Oleaginosas (Capeco). O profissional explicou que a seca continua causando problemas no desenvolvimento das plantas e, portanto, na capacidade de produção. Considerando apenas as perdas dos primeiros grãos de soja, fala-se em 1.300.000 toneladas. Ou seja, essa é a quantia que foi deixada para ser colhida em comparação com o que foi alcançado neste ponto na campanha anterior”, escreveu Pacheco.

Nesse contexto, ele explica que o Paraguai espera colher pouco mais de 8 milhões de toneladas da oleaginosa no final desta safra, o que representa um número bastante abaixo das 10 milhões de toneladas que vinham sendo colhidas nos últimos ciclos. Segundo Cubilla, provavelmente a perda é de 400.000 toneladas a mais no que resta da campanha e até agora, 70% da área de plantio foi colhida, o que equivale a 3.500.000 hectares.

“As primeiras variedades que foram plantadas em setembro sofreram muito no início. Então as variedades de plantio em outubro também tiveram uma importante recaída que ainda não conseguimos avalia. Nós não sabemos como vai acabar. Houve fortes chuvas nos dias de hoje no sul do Alto Paraná, Caazapá, Caaguazú e Itapúa, mas depois dessas chuvas teremos que fazer uma reavaliação. Em termos gerais, a colheita não é muito boa”, concluiu o paraguaio.

 

Fonte: Agrolink