Senar-RS e Dow Agroscience realizam agenda de treinamentos

0
3
02/07/13
Mais de 300 produtores rurais serão beneficiados com a parceria do Senar-RS e a  multinacional Dow AgroSciences a partir desta primeira semana de julho, quando as instituição e a empresa darão continuidade ao programa de treinamentos especial para aplicação responsável (PAR) – trabalho de orientação e disseminação das boas práticas agrícolas aos produtores que será realizado em dez municípios gaúchos.

Nos treinamentos que acontecerão para mais de 300 produtores em Giruá, Ajuricaba, Muitos Capões, Caxias, Sananduva, Passo Fundo, Três Palmeiras, Nonoai e Erechim, serão tratados assuntos sobre uso correto de Equipamento de Proteção Individual (EPI), descarte de embalagens, condições climáticas adequadas e qualidade na aplicação de defensivos agrícolas.

Conforme o coordenador de formação profissional do Senar-RS, Umberto de Moraes,  o objetivo deste programa é de capacitar e conscientizar agricultores, operadores de pulverizador, técnicos e engenheiros agrônomos no que diz respeito aos conceitos de responsabilidade na aplicação e sustentabilidade do agronegócio. Segundo ele, outros 300 produtores já foram beneficiados no ano passado.

Além das palestras, ainda são realizadas atividades práticas sobre inspeção periódica de pulverizadores (IPP) e redução do risco de deriva, por meio de um simulador.

O programa – A eliminação da deriva é uma das questões mais trabalhadas no PAR. Por este motivo, foi desenvolvido em parceria pela Dow AgroSciences e a Unesp, um equipamento que possibilita simular condições reais de vento e tamanhos de gota das aplicações, de forma que os participantes tenham a visualização real do efeito do uso de cada tipo de tecnologia (ponta e pressão de trabalho), de acordo com a velocidade do vento no momento da aplicação.

Antes e depois de iniciar a dinâmica, são realizados testes que avaliam os participantes com relação ao conhecimento sobre o assunto.  Conforme pesquisa realizada pela empresa  Dow AgroSiences, existe um aumento médio de 77% de acertos no teste realizado após a capacitação em relação aos realizados previamente.

Fonte: Agrolink