Revolução na criação poderia liberar potencial da batata

0
11
Couleur (CC0), Pixabay

15/02/2019

O atual diretor do banco de genes do International Potato Centre (CIP) do Peru, David Ellis, afirmou que o cultivo da batata precisa passar por uma revolução na criação para conseguir liberar todo o seu potencial. De acordo com um levantamento realizado por ele, pragas e falta de chuva devastaram todas as 17 variedades que os pesquisadores plantaram.

Ele afirma que as pessoas cultivam batatas no trecho acidentado dos Andes há milhares de anos, mas ultimamente essa tarefa ficou mais difícil, em parte por causa da mudança climática. A seca e a geada são mais frequentes e as chuvas vêm depois, encurtando a estação de crescimento, além das temperaturas mais altas permitirem que mariposas e gorgulhos invadissem as altitudes mais baixas.

Para encontrar batatas que possam lidar com esses desafios, pesquisadores e agricultores peruanos estão testando dezenas das 4350 variedades cultivadas localmente, mas todos os testes acabaram ficando aquém do esperado. “As raízes nativas da terra evoluíram com o tempo, mas a mudança climática está acontecendo muito rápido para que essas variedades se adaptem”, comenta.

No Peru e em todo o mundo, o aprimoramento da batata tornou-se uma alta prioridade, já que a cultura alimentar mais importante depois do trigo e arroz. As batatas já são essenciais para 1,3 bilhão de pessoas e os tubérculos estão se tornando cada vez mais populares no mundo em desenvolvimento. Segundo o especialista, acompanhar a demanda significa adaptar a batata a vários solos e climas. Também deve resistir a novas ameaças de pragas, doenças, calor e seca.

 

Fonte: Agrolink