Raças de ovinos de leite

0
3222

Raças de ovinos de leite

Raça Lacaune

Originária do Maciço Central Francês, possui notáveis qualidades leiteiras.
É uma raça mista, pois além da aptidão leiteira, devido ao seu grande porte e rápido crescimento, também é excelente produtor de carne (ALZUGARAY & ALZUGARAY, 1986). Seu leite apresenta 7,5% de gordura (média), sendo muito utilizado pra fazer o queijo Roqueford (CASTILLO,s.d.).

Produz de 100 a 200 kg de leite por lactação e média diária de 1,5 litros.
É considerada uma das melhores raças ovinas para leite, pesando, as fêmeas 60 Kg em média e os machos, 90 Kg, segundo CASTILLO (s.d.).

De acordo com CASTILLO (s.d.), esses animais apresentam pelagem clara, pouquíssima lã de velo, sem lã nas patas, barriga e cabeça.

Referências bibliográficas

OSÓRIO, J.C.S e OSÓRIO, M.T.M. Zootecnia de Ovinos.

CRUZ, F.P. Sistema de Produção de Ovinos (2002).

CASTILLO, L.H. Raças de Ovinos (On line, http://www.cico.rj.gov.br/raças, s.d.).

ALZUGARAY, D. e ALZUGARAY, C. Aprenda a Criar Ovelhas. São Paulo, SP (1986).

Bergamácia

Trazida da Itália, esta raça é proveniente (remotamente) de ovinos sudaneses.
Sua fama deve-se ao seu leite empregado na fabricação do queijo Gorgonzola.
Trata-se de um ovino rústico, muito andador, de grande robustez e pouco exigente na alimentação. As ovelhas sempre têm partos duplos e grande aptidão leiteira, produzindo 250 Kg de leite com 6% de gordura, em um período de lactação de seis meses.
Os cordeiros engordam bem atingindo, já no primeiro mês, o peso de 12 Kg e com cerca de dois anos chegam a pesar de 130 a 140 Kg (ALZUGARAY & ALZUGARAY, 1986).
São de grande porte, com altura média de 80 cm. As fêmeas pesam em média 75 Kg e os machos 120 Kg.

É uma raça fácil de ser manejada, devido ao seu temperamento dócil.
Sua lã, de coloração branca e de espessura média, apresenta baixa qualidade e sua pele muitas vezes é exportada (CASTILLO, s.d.). Seu velo rende 3 Kg por tosquia.
Seus cascos são negros e suas orelhas são bem compridas no sentido do focinho, principal característica da raça.

Recomenda-se a raça para a formação de pequenos rebanhos em fazendas mistas e também para melhorar os ovinos brasileiros quanto às produções de carne e leite.
A preparação de queijos sofisticados na propriedade poderá tornar-se o objetivo principal, dada à valorização destes produtos no mercado (ALZUGARAY & ALZUGARAY, 1986).
Sua carne tem sabor agradável, apesar da quantidade de sebo elevado.
No Brasil também é conhecida como Bergamasca, Bergamasker ou Gigante di Bergamo.
Prospera no Brasil em áreas do Sudeste e do Nordeste.

Comisana

Originária da Itália, chamado de “cara rosa”.

Produz cerca de 1,7 litros/ dia de leite.

Produz 1,5 kg lã/ ano.

Bastante rústica, Cordeiros pesam 30-35 kg aos 3 meses.

Fonte:

 http://www.uniovinos.unipampa.edu.br/index.php?option=com_content&view=article&id=51:ra&catid=14:artigos&Itemid=32

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here