Raças de Bovinos Leiteiro

2
309

RAÇA AYRSHIRE

Origem
A raça Ayrshire é proveniente da Escócia, escende do gado dos condados de Ayr e Lanark. No melhoramento da raça, que se iniciou em 1750, a Ayrshire recebeu sangue de várias raças especializadas, entre elas o Holandês. É criada na Escócia, Irlanda e arredores de algumas cidades inglesas, Estados Unidos, entre outros países pelo mundo.

Características
A aptidão dominante da raça Ayrshire é leiteira, sua pelagem é malhada de vermelho, bem definido. Produz em média 3,900 kg de leite por lactação. Seu leite apresenta matéria seca alta, sendo próprio à fabricação de queijos. Na Grã-Bretanha, sua produção é praticamente destinada para a produção de queijos.

Associação Nacional de Criadores de Herd Book Collares
Rua Anchieta, 2043
Pelotas – RS CEP 96015-420
Fone: (0**53) 222-4576

RAÇA HOLANDESA

Origem
Originária dos Países Baixos a raça holandesa é o resultado de uma série de cruzamentos entre bovinos de diversas regiões da Europa.

Características
A raça holandesa é universalmente conhecida como a de maior potencial para produção de leite. Apresenta pelagem branca e preta ou branca e vermelha. Seu úbere possui grande capacidade e boa conformação. As novilhas podem ter sua primeira cria por volta dos dois anos de idade. Os bezerros nascem com 38 kg em média.

Associação Brasileira de Criadores da Raça Holandesa
Av. Diógenes Ribeiro de Lima, 3063 – Alto da Lapa
São Paulo – SP CEP 05083-010
Fone: (0**11)831-0384

RAÇA PARDO SUÍÇA

Origem
O gado Pardo Suíço, constitui uma das raças bovinas mais antigas. Teve origem 1800 anos antes de Cristo. É proveniente do sudeste da Suíça, sendo disseminada em todos os países vizinhos.

Características
De pelagem parda clara a cinzenta escura, as vacas Pardo Suíças apresentam ventre desenvolvido, sustentando um úbere típico de gado leiteiro, com tetas de tamanho médio, bem colocadas. A aptidão predominante é a leiteira, mas também possui uma boa capacidade para produção de carne. As novilhas são cobertas aos 2 1/2 anos. Nos cruzamentos, transmite com grande fidelidade seus atributos, sendo às vezes difícil distinguir um animal 3/4 de um puro, não só pela conformação e pelagem como também pelas aptidões econômicas. Linhagens específicas para carne estão sendo desenvolvidas produzindo resultados satisfatórios.

Associação Brasileira de Criadores de Gado Pardo Suíço
Av. Francisco Matarazzo 455, sala 27
Caixa Interna: 13 São Paulo – SP CEP 05001-900
Fone: (0**11) 3871-1018 Fax: (0**11) 3862-5308

RAÇA GIROLANDO

Origem
Para a formação do Girolando é usado 5/8 holandês + 3/8 Gir, onde é possível conjugar a rusticidade do Gir e a produção do holandês, adicionando ainda características desejáveis das duas raças em um único tipo de animal, atribuindo um desempenho econômico muito satisfatório. Estes cruzamentos surgiram em meados da década de 40.

Características
Responsável por 80% do leite produzido no Brasil, é evidente, a afinidade do Girolando com o tipo de exploração, propriedades, mercado e o produtor nacional. O bezerra Girolando ao nascer pesa em média 35 kg. A docilidade de sua mãe juntamente com outras qualidades maternais, torna sua raça a mais utilizada como receptora de embrião em nosso país.

Associação Brasileira dos Criadores de Girolando Rua Orlando Vieira do Nascimento, 74Uberaba – MGCEP 38040 – 280Fone/ Fax: (0**34) 336 – 3111

RAÇA GIR LEITEIRO

Origem
A raça Gir é proveniente da Índia, ao sul da península de Catiavar e largamente criada no interior do continente. É uma raça mista, produtora de carne e com boa aptidão leiteira.

Características
No passado, muitos criadores deram importância exclusiva a caracteres raciais, de menor importância econômica; depois, evoluíram para a seleção de rebanhos e linhagens dotados de maior capacidade produtiva, tanto para carne como para leite. As qualidades leiteiras das vacas são bastante pronunciadas. Tenta-se a seleção de uma variedade leiteira. Em alguns rebanhos a produção é regular em regime de meia estabulação. São vantajosos cruzamentos do Gir com raças leiteira mais especializadas, como, por exemplo, a Holandesa. O bezerro é pequeno, mas muito resistente.

Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro Rua Pirapitinga 322, sala 106 Belo Horizonte – MG
Fone: (0**31)225-411

RAÇA GUERNSEY

Origem
É originário da ilha de Guernsey. Admite-se a hipótese de que seja derivado do cruzamento do gado Bretão com o Normando. O Guernsey é um gado que goza de muita popularidade, tendo sido exportado para a Inglaterra, Estados Unidos, Canadá, Austrália, Brasil e outros países .

Características
A Vaca Guernsey possui uma conformação tipicamente leiteira. Com um úbere grande, bem conformado e irrigado, é especializada na produção de leite gordo, por isso, classificada como raça manteigueira. É considerada mais rústica que a Jersey. Sua longevidade é notável, servindo na reprodução até avançada idade. Nos cruzamentos revela grande prepotência na transmissão de suas qualidades. Sua criação tem sido recomendada ao lado de vacas de leite magro para operar misturas de compensação.

Associação Brasileira de Criadores de Gado GuernseyRua Alegria do Castro Neves, 54 Sto Agostinho – Salvador BA,
CEP 40255-240Fone: (0**71) 233-243 ramal 28.

RAÇA JERSEY

Origem
Originário da pequena ilha de Jersey, formada há séculos, pelo cruzamento de animais provenientes da Normandia e da Bretanha. É uma raça criada em quase todo o mundo, inclusive no Brasil .

Características
Apresentam uma estatura baixa, de 115 a 120 cm nas vacas. O úbere é quadrado, bem irrigado, volumoso, com tetas pequenas e espaçadas. Seu leite é o mais apreciado para a produção de manteiga. Produz em média 3.300 kg de leite com 5,0% de gordura. É a mais precoce das vacas leiteiras. Em geral a primeira cobertura é feita dos 15 aos 18 meses de idade. Sua longevidade é também bastante grande. Nas regiões tropicais mostra elevada tolerância ao calor. É popular em quase todos os países produtores de lacticínios. No Brasil, aclima-se com facilidade na maioria dos estados.

Associação Brasileira dos Criadores de Gado Jersey
Av. Francisco Matarazzo, 455 Pq.
Água Branca Casa do Fazendeiro, sala 21
São Paulo – SP CEP 05031-900
Fone: (0**11) 262-0588 Fax: (0**11) 262-8101.

RAÇA NORMANDO

Origem
É uma raça bastante antiga, originária na Normandia, na França. Seu melhoramento e livros de registros são relativamente recentes.

Características
A raça Normanda possui aptidão predominante para o leite. Sua pelagem é malhada com fundo do amarelo claro até o escuro. As novilhas dão a primeira cria entre 2 1/2 a 3 anos de idade e os machos começam a servir em torno de 12 meses de idade. Ao nascer, os bezerros pesam em média 45 kg. Os animais da raça Normanda não se desenvolveram bem no Brasil. Possui temperamento dócil e é indicada para fazendas mistas, em regime de meia estabulação. No cruzamento com raças zebuinas, o gado Normando dá mestiços rústicos, de crescimento rápido, pesados, produtores de carne de boa qualidade.

Associação Nacional dos Criadores de Normando
Rua Anchieta, 2043
Pelotas – RS CEP 96015-420
Fone: (0**53) 22-4576 Fax: (0**53) 25-2773

RAÇA PITANGUEIRAS

Origem
Por volta da Segunda Guerra Mundial, o Grupo Anglo, empresa de destaque na criação de bovinos ao redor do mundo iniciou um processo de criação de uma raça híbrida entre Taurinos e Zebuínos. O Red Poll, considerado uma raça de dupla aptidão, cruzado com o indiano Guzerá, que já havia passado por um melhoramento genético visando a produção de leite. Os produtos 5/8 Red Poll e 3/8 Guzerá, cruzados com animais com o mesmo grau de sangue, deram origem aos bi-mestiços Pitangueiras. O nome da raça veio da cidade de Pitangueiras, próximo de Ribeirão Preto onde foi desenvolvido, tradição do meio pecuário.

Características
O gado Pitangueiras se caracteriza pela pelagem vermelha uniforme. È geneticamente mocho e apto para a dupla aptidão ( carne e leite ). Ao nascer os machos pesam cerca de 35 kg e as fêmeas 33 kg, chegando aos 12 meses com 220 kg e 205 kg respectivamente. Os novilhos destinados ao abate atingem cerca de 450 kg aos 3 anos, em regime de pasto. A média de produção de leite em grandes rebanhos é de 10 a 15 kg por dia. O leite é bastante rico em gordura, com 4 a 5 % de gordura, herança do Guzerá. A média em 300 dias de lactação por animal gira em torno de 4000 a 5000 kg de leite.

Associação Brasileira de Criadores de PitangueirasAvenida Francisco Matarazzo, 455 – Água Branca
São Paulo – SP CEP 05001-900
Fone:(0**11) 3872 0905

RAÇA CARACU

Origem

Descende de bovinos portugueses trazidos no tempo do Brasil Colônia. Portanto, é uma raça brasileira de origem européia, formada pela  mistura de diversos gados ibéricos nos séculos  XVI e XVII. Em regiões ou situações em que se busca  um produto cruzado rústico, o Caracu é uma boa opção pela sua secular adaptação ao clima tropical.
Afinal, a raça já vive no Nordeste, no Sudeste, no Brasil-Central, no Pantanal mato-grossense e até  no Sul do país.

Características

O gado Caracu constitui a raça bovina nacional mais aperfeiçoada. É uma raça Caracu é de dupla aptidão,  ou seja para produção de leite e carne. Sua carne é suculenta e muito apreciada.

RAÇA RED POLLED

Origem

A raça Red Polled é muito difundida na Austrália, Nova Zelândia, Canadá, Argentina e Uruguai.

Característica

Trata-se também de uma raça de dupla finalidade, grande produtora de carne e leite. Sua fertilidade chega a atingir 100%. Assim, as vacas criam seus bezerros com bastante precocidade.O Red Polled pode ser utilizado em cruzamentos com raças européias e zebuínas, sendo seus filhos altamente  rústicos.  No cruzamento com a raça Guzerá, surgiu a raça Pitangueiras.

RAÇA SIMENTAL

Característica

O nome da  raça Simental vem do vale do Simme (ou vale do Simmenthal) e do vale de Saane,
no Oberland, na Suíça, onde já existia gado vermelho e branco na idade Média e de onde
saíram reses para muitos países europeus.

Origem

A produção leiteira comprovada, na Suíça, chega a mais de 5.500 litros por lactação e mais de 4,2% de gordura. Embora seja originalmente de tripla finalidade, vem sendo selecionado apenas para produção de carne e leite.

RAÇA PINZGUAER

Característica

O gado Pinzguaer é de dupla finalidade, mas vem sendo cada vez mais selecionado para a produção de leite, com média de 3.500 e 4.000 litros e com  recorde pouco acima de 10.000 litros (FAO,p.275).
O sucesso da raça Pinzguaer, na modernidade, deve-se, em boa parte, a uma vaca que produziu 8.125 litros de leite e 4,15% de gordura, em 1955.

Fonte:  http://www.vivernocampo.com.br/pecuaria/pecuedeleiteracas.htm

2 COMENTÁRIOS

  1. Oi só queria dar-lhe um breve heads-up e que você saiba alguns do
    fotos não estão carregando corretamente .
    Não sei porquê, mas eu acho que é uma questão de vinculação.
    Já tentei em dois diferentes navegadores web e ambos mostram a mesma resultados .

  2. Olá Pedro Henrique , obrigada por seu Feedback é muito importante pra nós!
    Verificamos alguns artigos com problemas no site, porém já estão sendo revisados por nossa equipe. Agradecemos sua compreensão e esperamos que continue acompanhando nosso conteúdo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here