Programa de melhoramento

0
8
Os caprinos de raça Serrana, tal como todas as raças caprinas portuguesas, têm a sua origem nas cabras selvagem do período Quaternário do Cenozóico, existentes sobretudo em regiões de climas difíceis.

Esta espécie animal possui um atributo de enorme importância ao conseguir sobreviver e ainda produzir em regiões de climas adversos. È razão fundamental da sua boa resposta à intensificação, pois se consegue produzir em sistemas de exploração em que as carências alimentares predominam e o maneio reprodutivo é incorrecto e desajustado às disponibilidades alimentares e necessidades fisiológicas, quando se melhora globalmente o sistema de produção é natural que a capacidade produtiva do animal se manifeste, com um aumento significativo da produção.

Os caprinos apresentam uma elevada eficiência na produção de leite que associada ao elevado valor nutritivo e dietético do leite e do queijo, tem incentivado a intensificação das explorações de caprinos.

Para que a intensificação se torne viável, o acréscimo de produção tem que compensar os investimentos efectuados.
O melhoramento genético é uma peça fundamental no aumento do rendimento dos caprinicultores, pela via de intensificação; há que melhorar a qualidade e aumentar a quantidade de leite produzido por animal, assegurando simultaneamente a manutenção dessas características melhoradas, trabalhando em raça pura.

Por outro lado a concorrência com raças exóticas altamente produtivas, leva a que muitos caprinicultores com sistemas de produção semi-extensivos optem por cabras de raça Saanen ou Alpina com médias de 900 litros por lactação, mas que em Portugal não revelam o seu potencial produtivo devido à sua má adaptação aos nossos solos e clima.

Até há cinco anos atrás, a produção das nossas cabradas Serranas (150 a 450 l) ainda compensava ligeiramente essa diferença, devido ao rendimento queijeiro mais elevado, com 3.0% a 3,8% de proteína e 4,0% a 5,0% de gordura. Além disso, são animais que pela sua adaptação ao meio, de uma forma geral não apresentam problemas.

No entanto os franceses alteraram, há cerca de cinco anos, os critérios de selecção e começaram a melhorar as raças, em primeiro lugar para a matéria proteica, seguindo-se o teor proteico e só em terceiro lugar para a quantidade de leite.

Actualmente os valores atingidos para a proteína e gordura do leite das raças Saanen e Alpina são já semelhantes ao da raça Serrana. Por isso se quisermos a nossa raça competitiva teremos que melhorar a qualidade do leite, que já de base é muito boa, aparecendo por vezes animais, com teor de proteína 4% e com 10% de teor de gordura.

Convém realçar que a raça Serrana é a mais representativa das raças caprinas autóctones, com cerca de 300.000 fêmeas reprodutoras e aproximadamente 35.000 caprinicultores.

Assim, em face da dimensão destes números, a Associação Nacional de Caprinicultores da Raça Serrana (ANCRAS) – coordenadora dos trabalhos inerentes ao Registo Zootécnico/ Livro Genealógico (RZ) da raça a nível nacional – estabeleceu protocolos de delegação de competências com quatro associações regionais que executam o RZ nas suas áreas de acção:

Associação de Criadores de Caprinos e Ovinos do Ribatejo e Oeste (ACORO)
Associação de Criadores reprodutores do oeste (ACRO)
Associação de Criadores de Ruminantes do Concelho da Guarda (ACRIGUARDA)
Associação de Produtores de pequenos Ruminantes da Bacia Hidrográfica do Côa (COVICÔA)

1. OBJECTIVO
Melhorar a quantidade de quilos de queijo através da melhoria combinada da quantidade e leite, teor proteico e teor butiroso, de forma a optimizar o rendimento para o sistema de produção adoptado.
2. JUSTIFICAÇÃO
Estas são características fundamentais que ao serem melhoradas irão influir directa e positivamente no aumento do rendimento económico das explorações, contribuindo para a capitalização do caprinicultor e possibilitando-lhe a realização de investimentos no sentido do melhoramento integrado da exploração caprina e da optimização dos recursos naturais.
O desenvolvimento da produção caprina da raça Serrana passa então pelos seguintes factores tecnológicos:

·        Optimização dos recursos naturais;
·        Base fisiológica e produtiva dos animais;
·        Capacidade de adaptação ao meio;
·        Sistema de produção
·        Escolha do objectivo de produção;
·        Melhoramento do ecossistema;

E ainda:

Pelo Melhoramento Genético Animal direccionado prioritariamente para a qualidade e aumento da produção de leite, conformação dos úberes e tetos, instinto maternal e Prolificidade, esta última devido à importância económica do cabrito no país.

3. ESTADO ACTUAL DO PROBLEMA

Num contexto histórico-cultural a caprinicultura tem grande importância nas zonas em que a intensificação cultural do agros é menor, devido ao aproveitamento que os caprinos obtêm dos fracos recursos, dificilmente aproveitáveis pelos outros ruminantes.

Esta espécie animal possui uma grande selectividade alimentar, coexistindo em íntima ligação com a natureza, condicionada praticamente, apenas pelo ciclo climático.

Destaca-se ainda o seu interesse não só por ocupar os terrenos de escassa produção agrícola, como por ser a espécie que aproveita a fibra vegetal com maior eficácia.

A melhoria do condicionamento ambiental é o princípio básico para o desenvolvimento da caprinicultura portuguesa, que deverá ser acompanhada, de forma integrada, com o melhoramento genético de alguns caracteres.

Assim, com melhores condições ambientais e com animais de elevado valor zootécnico, conseguir-se-à a caprinicultura desejada – competitiva e com elevada produtividade.

4. METODOLOGIA

4.1 RECOLHA E ANÁLISE PRELIMINAR DE DADOS

4.1.1. DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA POR CONCELHO DE ANIMAIS INSCRITIOS NO LIVRO GENEALÓGICO DA RAÇA SERRANA

Distribuição geográfica por concelho

4.1.2.CAPRINICULTORES E FECTIVO CAPRINO SERRANO
Os efectivos das cabradas de raça Serrana são normalmente constituídos por 20 a 200 animais adultos, constatando-se um predomínio de cabradas de 70 a 80 cabeças. No entanto, devido ao facto dos agricultores possuírem normalmente 1 a 3 “cabras de corda”, sendo estatisticamente considerados produtores de caprinos, contribui para que o número médio de caprinos por manifestamente seja diminuto (aproximadamente oito).

Fonte: I.N.E. (1998)
DISTRIBUIÇÃO DO EFECTIVO CAPRINO 1998
Total: 796 000 cabeças


Fonte: I.N.E. (1998)

Relativamente ao último recenseamento agrícola (1989), o número de caprinos tem oscilado bastante. Um ligeiro aumento até ao ano de 1992, após este ano um decréscimo acentuado até ao ano 1998, no entanto o efectivo caprino Serrano manteve a sua importância relativa, pois esta diminuição deu-se sobretudo à custa da eliminação de animais mestiços e cruzados que foram progressivamente refugados, mercê do trabalho do Registo Zootécnico desenvolvido nas explorações caprinas.

4.1.3. RECOLHA E ANÁLISE DE INFORMAÇÃO TÉCNICA E ECONÓMICA DEFINIÇÃO DE OBJECTIVOS DE MELHORAMENTO

4.1.3.1. PARÂMETROS REPRODUTIVOS

A raça Serrana é muito precoce entrando as fêmeas à coberta entre os 5 e os 7 meses de idade, nos sistemas de explorações extensivos tradicionais.

Os parâmetros reprodutivos são bons, comparativamente às outras raças caprinas e exóticas:

Ø      Fertilidade Real                             90% a 95%
Ø      Prolificidade                                  1,30 a 1,90
Ø      Fecundidade                                 150% a 180%
Ø      Produtividade do sistema               130% a 170%

Apesar das anacas parirem frequentemente antes de atingirem 1 ano de idade (demasiado cedo). Pois os animais ainda não atingiram o seu pleno crescimento e desenvolvimento e que ficará comprometido se as anacas entrarem em gestação e da intensificação do maneio reprodutivo (partos com 7 a 9 meses de intervalo), estes animais apresentam uma grande longevidade reprodutiva, encontrando-se cabras em produção, com 10 anos de idade, nos sistemas de exploração tradicionais.

Nestes sistemas a cabra Serrana atinge a capacidade máxima produtiva aos três anos de idade, mantendo-se o nível de produção leiteira até aos sete anos (com pequenas oscilações anuais), altura em que começa a diminuir substancialmente.

4.1.3.2. PRODUÇÃO LEITEIRA

Os dados relativos à produção leiteira da raça caprina Serrana encontra-se nos Anexos.

A diferença entre os ecotipos existentes na produção leiteira chega a atingir o quadruplo, quando comparados o ecotipo transmontano e ribatejano.

No entanto estas diferenças, pensamos nós, devem-se essencialmente a três factores.

Como factores principais podemos apontar o maneio alimentar e o maneio reprodutivo, e como factor secundário o preço dos produtos (leite versus cabrito).

O maneio alimentar e reprodutivo praticados na exploração do ecotipo transmontano (extensivo tradicional) são completamente diferentes dos praticados (em maneio extensivo e semi-extensivo) na exploração do ecotipo ribatejano.

A estes dois sistemas de exploração correspondem duas práticas de maneio alimentar e reprodutivos distintos.

Em Trás os Montes os animais percorrem um determinado percurso diário aproximadamente 15 Km e alimentam-se sobretudo da flora herbácea, arbustiva e arbórea, constituintes da flora espontânea local autóctone.

A suplementação alimentar é inexistente nas épocas de maiores necessidades fisiológicas e produtivas dos animais e de escassez alimentar de natureza edafo-climática; não sendo as exigências alimentares totalmente cobertas, por não haver o acréscimo nutricional indispensável às necessidades de produção.

Ou seja, a produção dos animais é dependente essencialmente da capacidade forrageira da região em que se encontram as explorações caprinas.

Relativamente ao maneio reprodutivo, a intensificação reprodutiva é uma característica do sistema de exploração do ecotipo transmontano.

As épocas de cobrição não são controladas, nem na época (tendo em atenção as disponibilidades alimentares, a fertilidade dos animais e o preço dos produtos) nem na paternidade, encontrando-se os bodes permanentemente nas cabradas, com cobrições constantes ao longo do ano, parindo as cabras, em média, três vezes em dois anos.
Os preços dos produtos de origem caprina, nas diversas regiões do país, apresentam alguma disparidade.
Assim o preço do cabrito é mais ou menos uniforme ao longo do ano no Norte do País (1650$00/Kg carcaça), oscilando um pouco de forma positiva no Natal e no mês de Agosto. Caminhando para Sul o preço do cabrito sofre oscilações mais acentuadas, com preços que variam entre (1100$00 a 1800$00\ Kg carcaça, este último pelas épocas de Natal e Páscoa).
O leite no Norte e Sul actualmente apresenta valores sensivelmente iguais, que variam entre os 60 e 70 escudos por litro.
4.1.4. ESTIMATIVA DE PARÂMETROS GENÉTICOS E FENOTÍPICOS
4.1.4.1. CONTROLO INDIVIDUAL DA PRODUÇÃO, DADOS TÉCNICOS A RECOLHER
A selecção e melhoramento genético assenta em duas vertentes:
·        Controlo individual da produção;
·        Selecção de reprodutores pela ascendência, selecção individual e selecção pela descendência;
Assim a recolha de dados produtivos é efectuada a diferentes níveis, conforme os itens que se seguem.
4.1.4.1.1. CONTROLO INDIVIDUAL DA PRODUÇÃO
4.1.4.1.1.1. PRODUÇÃO DE LEITE

REGISTOS DAS PRODUÇÕES DOS ANIMAIS DAS MÃES DOS CHIBOS E DAS FILHAS DOS BODES EM TESTAGEM

Cálculo dos seguintes parâmetros:

  • Ø      Máximo;
  • Ø      Mínimo;
  • Ø      Produção Mamada;
  • Ø      Produção Ordenhada;
  • Ø      Produção Total;
  • Ø      Duração de Lactação;
  • Ø      Produção Normalizada;
  • Ø      Teor Proteico;
  • Ø      Teor Butiroso;
  • Ø      Matéria Útil
O controlo quantitativo e qualitativo da lactação será obtido a partir do registo da produção diária (mediada em uma ou duas ordenhas), de 28 em 28 dias (com intervalo, aceitável entre os 26 e os 33 dias), e em que o 1º contraste terá que ser efectuado, no máximo, 75 dias após a data do parto.

4.1.4.1.1.2. CRESCIMENTO

REGISTOS DA PRODUÇÕES DOS ANIMAIS
BODES EM TESTAGEM E DAS FILHAS DOS BODES

Cálculo dos seguintes parâmetros:
  • Ø      Peso ao nascimento;
  • Ø      Peso aos 30 dias;
  • Ø      Peso aos 60 dias;
  • Ø      Peso ao desmame
O crescimento será obtido através do ganho médio diário (GMD) dos cabritos mediante a realização de pesagens de 21 em 21 dias. A primeira pesagem terá de ocorrer, no máximo, até ao 21º dia desde o nascimento do 1º cabrito na época de parição.

4.1.4.1.1.3. PRODUÇÃO DE SÉMEN

REGISTOS
CHIBOS EM TESTAGEM

Cálculo dos seguintes parâmetros:
  • Ø      Volume de sémen;
  • Ø      Concentração;
  • Ø      Mobilidade massal;
  • Ø      Mobilidade individual;
  • Ø      Vivos e mortos;
  • Ø      Anormais;
  • Ø      Estudos de diluição;
  • Ø      Estudos de conservação de sémen (refrigeração e congelação).

4.1.4.2.CENTRO DE RECRIA E TESTAGEM DE CHIBOS E CENTRO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

A recria e testagem dos chibos oriundos das explorações caprinas inscritas no LG será efectuada no Centro de Recria e Testagem de Chibos da Raça Serrana, localizada na Quinta do Valongo, em Mirandela, pertencente à Direcção Regional de Agricultura de Trás-os-Montes (DRATM).

Para tal, deverá realizar-se um protocolo de colaboração, no âmbito do melhoramento genético animal, entre a DRATM e a ANCRAS.
O Centro de Inseminação artificial deverá localizar-se na Estação Zootécnica Nacional, em Santarém ou no local acima mencionado.
Terão como principais actividades:
  • Ø      Congelação de sémen;
  • Ø      Estudo de diluição e conservação de sémen;
  • Ø      Recolha de sémen de bodes testados, para armazenamento e constituição de um stock de sémen.
Os Subcentros serão localizados nas áreas de acção das delegações da ANCRAS:
Guarda (ACRIGUARDA)
Lourinhã (ACRO)
Pinhel (COVICÔA)
Santarém (ACORO)

4.2. ADOPÇÃO DE TECNOLOGIAS REPRODUTIVAS ADEQUADAS AO PROGRAMA DE MELHORAMENTO

4.2.1. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL
A Inseminação Artificial (IA) é um método de reprodução em que se obtém o sémen do macho para se introduzir posteriormente no aparelho genital da fêmea, levando a um melhoramento da espécie num intervalo de tempo mais reduzido.
O fraco sucesso conseguido há alguns anos com uso de sémen congelado tem contribuído como factor limitante à ampla aplicação do método na espécie caprina.
No entanto, os recentes avanços tecnológicos melhoraram a eficácia da IA em caprinos, sendo muito praticada em países mais desenvolvidos e relacionada com as industrias leiteiras, nomeadamente com o fabrico de queijo.
O método de IA envolve três técnicas diferentes:
1- Recolha de sémen, com vagina artificial.
2- Diluição e conservação de sémen, por refrigeração (utilizada preferencialmente na testagem), e por congelação (técnica a utilizar para difusão do sémen dos bodes aprovados como reprodutores, junto das melhores explorações).
3- Inseminação das Fêmeas em cio.
3.1- Inseminação com sémen refrigerado:
Conservando-se o sémen diluído em meio apropriado e arrefecido a 15ºC, com poder fecundante durante 4 a 6 horas será o método preferencial usado na testagem dos bodes em Estação e nas explorações caprinas (obtenção de filhas dos bodes a testar), em virtude da fertilidade média das cabras inseminadas por este método ser superior 60%.

3.2- Inseminação com sémen congelado

Este método recorre à congelação do sémen do bode e à sua conservação em azoto líquido (-196ºC).
Este será o método usado na difusão do valor genético dos bodes melhoradores nas cabradas de elite, apresentado uma fertilidade média 45% a 50%.

4.2.2. SINCRONIZAÇÃO DE CIOS

O método a utilizar será dos progestagéneos (ou progesterona) sintéticos para estimular a acção do corpo lúteo natural.
O método de administração de progestagéneos será o de sujeitar as fêmeas somente duas vezes ao tratamento; uma para inserir a esponja libertadora de progestagéneos e outra para retirá-la, altura em que se poderá administrar um tratamento estimulante da ovulação.

As esponjas serão aplicadas e inseridas na vagina a 10-15 cm de profundidade; serão retiradas 10-12 dias depois de aplicadas.

No caso de IA em estro natural, esta deverá realizada cerca de 12 horas, após o início do estro. Nas fêmeas sincronizadas, a IA deverá ter lugar cerca de 42 a 45 horas após a extracção das esponjas.

4.3.PROGRAMA DE COLHEITA SISTEMÁTICA DE DADOS NAS EXPLORAÇÕES

Pretende-se atingir ao fim de 5 anos 25.000 fêmeas controladas na produção leiteira.

Os dados técnicos-económicos necessários à implementação e execução do Programa de Selecção e Melhoramento Genético da Raça Serrana serão recolhidos mensalmente em visitas mensais aos caprinicultores aderentes ao Programa…

4.4. IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE SELECÇÃO

Seleccionar a ascendência e recriar chibos, após o desmame, do efectivo caprino Serrano inscrito no Livro Genealógico Português da Raça (R.Z.).

Teste de performance aos chibos, adaptado ao sistema tradicional, em Estação.

Testagem na descendência, através do 1º contraste e análise do crescimento das filhas dos bodes a testar, nas explorações caprinas.

Atribuição do índice genético aos bodes testados.

Integração dos bodes, com índice genético acima da média da população, em cabradas de elite.

O esquema de selecção e melhoramento genético a implementar é o seguinte:

ESQUEMA DE SELECÇÃO E MELHORAMENTO GENÉTICO DA RAÇA SERRANA

4.4.1. AVALIAÇÃO GENÉTICA
A avaliação genética será realizada das metodologias existentes, sendo o método mais adequado decidido conjuntamente com o Instituto Nacional de Investigação Agrária (INIA) e Direcção Geral de Veterinária (DGV).
4.4.2. AQUISIÇÃO DE JOVENS REPRODUTORES
DIFUSÃO DE REPRODUTORES SELECCIONADOS
Anualmente serão adquiridos cerca de 10 a 20 chibos pelo Centro de Recria e Testagem da Raça Serrana.
A difusão de reprodutores será efectuada a diversos níveis, em função da produtividade das cabradas e do índice genético dos machos melhoradores.
O sémen dos bodes de leite será para utilizar preferencialmente nas melhores cabradas inscritas no Livro Genealógico da Raça.
5. RESULTADOS ESPERADOS
Pretende-se elevar directamente os parâmetros produtivos e indirectamente os reprodutivos desta raça.
6. MEIOS HUMANOS
1 – Eng. Zootécnico
3 – Eng. Técnico de Produção Animal
2 – Administrativo
5 – Agentes Técnicos
7. ENCARGOS COM A EXECUÇÃO DO LIVRO GENEOLÓGICO E PROGRAMA DE MELHORAMENTO GENÉTICO
O Programa de Selecção e Melhoramento Genético que se pretende implementar da Raça Caprina Serrana tem como consequência um desenvolvimento qualitativo e quantitativo das acções inerentes ao Livro Genealógico.
Além da manutenção e continuidade de todas as actividades e trabalhos relativos à gestão e execução do LG é necessário um aumento substancial da eficácia dos contrastes leiteiros, de forma a aumentarmos significativamente o número de contrastes válidos.
A inovação em termos de trabalho será no domínio da reprodução controlada com sincronização de cios e inseminação artificial das filhas dos chibos em testagem, em que se prevêem dificuldades tecnológicas e de implementação do programa ao nível das explorações caprinas.
Partindo de uma base de selecção de 25.000 fêmeas, com contraste leiteiro válido, prevêem-se as seguintes acções, orçamentadas para seis anos.

Fonte: http://www.ancras.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=20&Itemid=5

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here