Produtores de milho de Goiás e Mato Grosso fazem viagem tecnológica ao Meio-Oeste americano

0
11

Foi para conhecer a principal região produtora de milho do mundo, as tecnologias e as técnicas de manejo aplicadas do campo, que dez agricultores de Goiás e do Mato Grosso embarcaram para o Meio-Oeste dos Estados Unidos a convite da Dekalb, líder mundial em melhoramento de milho. Eles foram os vencedores do programa Safra Premium, criado para aproximar produtores do desempenho e da tecnologia da marca, e integraram o seleto grupo do Monsanto Technology Tour. “Estamos curiosos para ver as inovações usadas aqui e levar conhecimento para o Brasil”, afirmou Cássio Sitta, que plantou mais de três mil hectares de milho DKB 390 PRO, na última safra de inverno, em Rio Verde (GO).

Em Saint Louis, a “porta de entrada para o Oeste americano”, o grupo teve a oportunidade de assistir a uma palestra de Jesus Madrazzo, líder internacional da Monsanto, que comentou sobre o futuro da produção de fibras, alimentos e energia no mundo. “Para atender à demanda crescente, precisamos desenvolver soluções que promovam um aumento continuo de produtividade por hectare plantado. E nós investimos diariamente US$ 3 milhões em Pesquisa e Desenvolvimento”, revelou. “Cada novo evento biotecnológico leva até 10 anos para ser lançado e consome de US$ 100 milhões a US$ 150 milhões.”

Na segunda-feira (29/8), os agricultores visitaram duas das unidades de pesquisa. Na Monsanto Village Biotechnology, em Chesterfield, conheceram o processo de seleção de uma nova característica genética e de introdução na planta. O local, com 80 hectares, tem mais de mil pesquisadores que trabalham em modernos laboratórios, casas de vegetação – capazes de simular condições de plantio – e estufas. Estudante de Agronomia, Henrique Beledeli, com uma área de milho safrinha de 930 hectares em Sorriso (MT), era um dos mais interessados. “A inovação tecnológica empregada é impressionante. E é importante para nós conhecermos todos os passos, que garantem produtos de qualidade e seguros para consumo”, afirmou.

Depois, todos partiram para a sede da Monsanto, em Crever-Couer, para ver de perto o trabalho do time de melhoramento genético convencional. Lá, confirmaram que ´inovação’ não é apenas sinônimo dos produtos disponibilizados no mercado pela Dekalb, mas de todo processo de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) empregado, com equipamentos e soluções criados pela equipe de engenharia da Monsanto para acelerar o trabalho de breeding, como o uso de ressonância magnética e do chipper de milho, máquina que retira pequenas lascas de cada uma das sementes, preservando a capacidade de germinação do grão. Com tudo isso, a marca é capaz de antecipar em dois ou três anos o lançamento de um híbrido com tecnologias combinadas. “Com certeza, agora valorizamos ainda mais os produtos do portfólio da Dekalb. E podemos defender melhor o uso de tecnologia no campo”, disse Izidoro Entringer, de Primavera do Leste (MT), que plantou mil hectares de DBK 390 PRO este ano.

Até o final da viagem, os agricultores irão passar também pela Farm Progress Show, a mais importante feira de lançamentos de tecnologias agrícolas voltadas ao mercado norte-americano, e pela Bolsa de Valores de Chicago.

Agricultores tecnológicos

Durante toda a safrinha de milho 2011, a Dekalb ofereceu aos 30 participantes do programa Safra Premium um acompanhamento diferenciado da evolução de sua lavoura, com visitas periódicas de RTVs (Representantes Técnicos de Vendas), além de cursos sobre gestão agrícola. Os 10 que atingiram a maior área de plantio do DBK 390 PRO, em relação à área disponível para o cultivo de milho em suas lavouras, foram premiados com a viagem aos Estados Unidos.

O híbrido de milho DKB 390 PRO tem como característica principal o excelente potencial produtivo. Com colmo de alta sanidade e boa resistência ao quebramento, é indicado para a produção de grãos e deve ser plantado com a melhor tecnologia de manejo e nos primeiros plantios de verão e safrinha. Possui alto teto produtivo no Cerrado e é insuperável em regiões abaixo de 700 metros de altitude.

A tecnologia VT PRO garante o controle superior das principais pragas que atacam à cultura. É considerada a segunda geração de milho geneticamente modificado, por controlar um espectro mais amplo de pragas ao produzir duas proteínas inseticidas do Bt (Bacillus thuringiensis), que protegem contra a lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda), a lagarta-da-espiga (Helicoverpa zea) e de espécies dos gêneros Ostrinia (broca europeia do milho e broca asiática do milho) e Diatraea (broca-do-colmo). “É um híbrido que nos dá muita tranqüilidade e segurança, sabemos que a produtividade será boa mesmo com a seca ou ataques de lagartas”, contou Gilberto Ottonelli, que plantou mais de 500 hectares do híbrido em sua área em Primavera do Leste.

Mayra Volpato
CDI Comunicação Corporativa
(11) 3817-7925
mayra@cdicom.com.br

Fonte: http://www.grupocultivar.com.br/site/content/noticias/?q=22149#22149

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here