Produtores combatem soja “guaxa” no Médio-Norte de Mato Grosso

0
7
08/07/13
Mato Grosso está no denominado período proibitivo para o plantio da soja, o chamado vazio sanitário, que dira 90 dias. No entanto, ainda precisam eliminar a soja guaxa, também conhecida como tiguera, que pode nascer de forma voluntária. A medida, regulamentada por lei, busca evitar que o fungo causador da ferrugem asiática se multiplique.

A intensão é impedir que a ferrugem asiática não encontre um local apropriado para sobreviver e disseminar na próxima safra. Conforme Nery Ribas, gerente técnico da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja), estudos mostram que este período é suficiente para que o fungo causador da ferrugem não se prolifere, basta que todos façam a sua parte, tomando os cuidados e medidas necessárias.

Um bom exemplo foi dado pelo município de Diamantino, onde a Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente está tratando de eliminar ao longo do perímetro urbano toda muda de soja que nasceu fora de época, a soja guaxa. O trabalho está acontecendo em conjunto com produtores, comerciantes do setor de agronegócios e algumas pessoas da comunidade. As unidades regionais do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) são responsáveis pela as fiscalizações nesse período. O produtor que não obedecer ao vazio estará sujeito ao pagamento de multas.

Cada produtor que for notificado pelo Indea com plantas de soja durante o período proibitivo deverá pagar multa no valor de 30 UPFMT (Unidade de Padrão Fiscal de Mato Grosso), acrescido de 2 UPF-MT por hectare não destruído da planta. Cada notificação deve passar de R$ 2,4 mil.

A ferrugem asiática é uma doença causada por fungos. Os primeiros sintomas se manifestam nas folhas com o aparecimento de minúsculos pontos escuros. Posteriormente ao aparecimento das lesões ocorre a desfolha da planta, que evita a formação dos grãos com redução da produtividade. O desenvolvimento da doença é extremamente rápido e ela se espalha com facilidade pelo vento e causa grandes prejuízos à produção. O objetivo é evitar ou retardar ao máximo o aparecimento do fungo causador da ferrugem asiática, doença que ataca a cultura e causa sérios prejuízos econômicos aos produtores.