Produção, Área Colhida e Produtividade da Soja no Brasil

0
36

No Brasil a soja vem tendo sucessivos recordes na produção, o maior problema é com relação à estocagem e armazenamento que vem chegando ao limite, contando que a perda da soja na semeadura é em torno de 2% a 3% da produção, mesmo com a forte queda na produtividade fase as estiagens prolongadas. (IBGE, 2005). Observando os dados da figura 3.1 (abaixo), nota-se que a região Sul era o maior produtor nacional entre os anos de 1994 a 1998.

A partir de 1999 a região Centro-Oeste tornou-se o maior produtor, o crescimento da produção entre 1994 a 2005 foi bastante consistente a taxas de 182,87% ao ano. As outras regiões apresentaram crescimentos consistentes, mas a região que se destaca com um crescimento elevado em todo o período temporal é a região Norte que cresceu 1917,19% com média de 31,29% ao ano. O Nordeste apresentou no período de 1994 a 2005 um crescimento de 286,55% com média de 109,17%, maior que a da região Centro-Oeste. Já o Sudeste apresentou um crescimento de 85,65% com média de 10,04% ao ano, o Sul cresceu a uma taxa de 5,69% ao ano, afirmando a transferência relativa para áreas como o Norte, Nordeste e Centro-Oeste. No Brasil os maiores Estados produtores são: Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, Goiás e Mato Grosso do Sul, representando um conjunto de aproximadamente 80% da produção Nacional A soja apresentou produção no ano de 2005 de 51.182.050 toneladas, mantendo sua condição de principal lavoura de grãos do país, mas houve queda na produção nacional porque a expectativa era de mais de 63 milhões de toneladas, o que não se concretizou principalmente devido à estiagem em Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e, em especial, no Rio Grande do Sul. Conforme a Tabela 3.1 a expansão da soja no Brasil no período de 1993 a 2005 apresentou crescimento de 126,56% na produção sendo em média 7,05% ao ano, a área colhida cresceu 115,78% com média de 6,62% ao ano, já o produtividade cresceu 4,99% com média 0,41% ao ano.

A produção de soja no Brasil em 1993 que era de 22,6 milhões de tonelada passou para 51,2 milhões de tonelada em 2005, a área colhida apresentava 10,6 milhões de hectares em 1993, para mais de 22,9 milhões de hectares em 2005, já o rendimento médio dessa cultura também apresentou significativos acréscimos, saindo de 2,124 kg/há em 1993 para 2,230 kg/há em 2005. Nota-se (fig. 3.1) que há um expressivo crescimento da evolução da soja, observa-se que de 1993 a 1996 houve uma oscilação na produção, crescendo 2,54%, a uma média de 0,21% ao ano. No entanto nos anos posteriores pode-se observar uma tendência crescente, apesar de indicar queda nos anos entre 2003 e 2005 equivalente a -1,42% com média de -0,12% ao ano. A área colhida também apresentou oscilação durante o período de 1993 a 1996 diminuiu 3,15% com média de decréscimo de 1,06% ao ano. De 1997 a 2000 ocorre uma oscilação, mas volta a crescer de 2001 a 2005. Comparando o período entre 2003 e 2005 onde a produção apresentou queda a área colhida apresentou um crescimento a taxas de 23,88% com média de 11.30% ao ano. Já a produtividade se mostrou crescente durante o período de 1993 a 1996, aumentando em 5,88%, uma média de 1,92% ao ano, mesmo crescendo continuadamente durante os períodos posteriores. Nota-se que entre os períodos de 1993 a 2001 ocorreu um crescimento consistente, tendo uma leve queda em 2002 voltando a crescer em 2003, no entanto, no período de 2003 a 2005 ocorreu uma queda na produtividade a taxa de 20,41% com média de 9.73% ao ano. Neste caso supõe-se que houve aumento da área plantada, Desta forma, o que nos mostra a fig. 3.2 é que o aumento da produção ocorreu com o aumento da quantidade de terras férteis destinada ao plantio da soja, insto é, expansão da fronteira agrícola e não com melhora da produtividade através de desenvolvimento tecnológico.

 Fonte:

http://www.eumed.net/libros/2010a/667/Panorama%20comparativo%20entre%20a%20soja%20no%20Mato%20Grosso%20e%20Tocantins.htm

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here