Principais variedades de copas

0
9

As variedades cítricas apresentam ciclo de desenvolvimento que pode variar de seis a dezesseis meses entre o florescimento (que ocorre, para a maioria das variedades, na primavera) e a maturação dos frutos, dependendo da espécie ou variedade e das condições de solo e clima do local de cultivo. Assim, podem ser agrupadas de acordo com a principal época de maturação do seu grupo como precoces, meia-estação e tardias .

 Laranja Bahia e Baianinha – precoces: Também conhecidas como laranjas-de-umbigo por apresentar um “umbigo” no fruto, do lado contrário do pedúnculo. Os frutos não apresentam sementes, a casca é bem amarela, a polpa suculenta e sabor ácido e adocicado. Contém bastante vitamina C. A Baianinha tem o fruto menor.

 Laranja Lima e Piralima – precoce, e Lima Tardia: Tem casca fina, amarela esverdeada. De todas as variedades, é considerada sem acidez, sendo por isso indicada para bebês, crianças e idosos. É doce e suculenta, ótima para ser consumida ao natural.

 Laranja Hamlin – precoce à meia estação: O fruto, pequeno, tem casca fina e cor amarelada, tem baixo teor de suco, poucos açúcares e ligeiramente ácido. Presta-se principalmente para a produção de suco concentrado. As árvores dessa variedade são bastante produtivas.

 Westin e Rubi – meia estação: Os frutos são bastante esféricos, com casca pouco espessa, cor laranja intensa, com suco bastante saboroso, servindo para o consumo ao natural ou industrializado. A planta é produtiva.

 Laranja Pêra – meia-estação: Tem um formato mais alongado. Sua casca é lisa, fina, amarela. Sua polpa é suculenta, de sabor adocicado e levemente ácido. É muito consumida ao natural e bastante utilizada no preparo de sucos.

 Laranjas Valência, Natal e Folha Murcha – tardias: apresentam frutos ovalados, a casca é ligeiramente grossa, tem suco de coloração amarelo forte e adocicado. São consumidas in natura e no preparo de sucos.

 Tangerina Cravo – precoce: os frutos são bastante saborosos, aromáticos, apresentam casca de coloração alaranjado intensa, de tamanho médio.

 Mexerica-do-Rio – precoce: os frutos são medianos, muito aromáticos, têm casca fina e lisa, são fáceis de descascar e paladar bastante agradável.

 Tangerina Ponkan – meia-estação: mais popularmente conhecida no mercado, apresenta frutos grandes, fáceis de descascar, com gomos que também se separam facilmente. Tem paladar bastante agradável.

 Tangor Murcott – tardia: é um híbrido (cruzamento) de tangetina e laranja, os fruto são achatados, com casca fina e aderente, com bastante sementes e cor do suco alaranjado intensa, doce e excelente para o consumo in natura e no preparo de sucos.

 Lima ácida Tahiti: mais popularmente conhecido como “limão”, apresenta fruto ligiramente ovalado, com casca verde intenso quando consumido, não apresenta sementes e também utilizado em culinária e no preparo da caipirinha.

 Lima ácida Galego: possui frutos pequenos, arredondados, com casca fina e ligeiramente amarela quando maduro. Apresenta bastante sementes, o suco é excelente para o preparo de temperos, limonadas, torta de “limão” e caipirinha.

 Limão Siciliano: fruto ovalado, grande, de casca grossa e amarela, bastante aromático, com acidez agradável, o que o torna bastante apreciado na cozinha.

 Pomelo Marsh Seedless: fruto arredondado, grande, com casca fina e polpa com sabor amargo. É pouco apreciado no Brasil; no exterior é conhecido como grapefruit. Pode ser consumido como fruta fresca ou no preparo de sucos.

Fonte: http://www.iac.sp.gov.br/Tecnologias/Citros/Citros.htm

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here