Preço do café é um dos mais baixos dos últimos anos

0
4

12/11/2013

Depreciação da commodity no mercado internacional reflete nos valores praticados no País

A justificativa para a queda dos preços do café no mercado brasileiro neste ano foi consequência dos baixos valores praticados no mercado internacional. A afirmação é da analista de mercado Caroline Ochiuse Lorenzi, do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Um recente estudo elaborado pela entidade apontou que, em outubro, a média de preço da saca de café arábica tipo 6 bebida dura, posto em São Paulo, fechou em R$ 253,94, queda de 7,3% em relação a setembro.

Segundo dados do Cepea, o valor do café é um dos mais baixos dos últimos 11 anos. Caroline explica que a Bolsa de Nova York tem sido pressionada por indicativos de um elevado volume de produção mundial. Além disso, a pesquisadora destaca que o recorde da safra 2013/14, mesmo em um ano de bienalidade negativa, pressionou o valor da saca para baixo. E não foi só o Brasil que registrou um aumento de produção. Outras regiões produtoras como a América Central e a Colômbia também deverão ter uma produção maior.

“Ainda não foram divulgados dados oficiais quanto à produção mundial e ao consumo no ciclo 2013/14. Mas para a safra 2012/13, dados da Organização Internacional do Café (OIC), divulgados neste mês, apontaram uma produção mundial de 145,241 milhões de sacas e consumo mundial de 142 milhões de sacas”, observa a pesquisadora. Assim, completa Caroline, o volume produzido foi suficiente para atender à demanda, havendo ainda certa quantidade excedente do grão.

Paraná

O reflexo da baixa cotação internacional já chegou ao Paraná. “Os preços praticados no Estado são os menores já registrados”, observa Paulo Franzini, técnico responsável pelo setor de café do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab). Em outubro, a média de preço da saca recebida pelo produtor paranaense chegou a R$ 222,82, contra R$ 343,16 em relação ao mesmo período do ano anterior.

O preço médio da saca contabilizado até outubro de 2013 foi fixado em R$ 267,77, ante R$ 359,75 registrado em 2012. “Os operadores de café dizem que a queda no preço se deve ao aumento da produção. Porém, há relatos de que o consumo também está aquecido”, indaga o especialista. Franzini completa que os operadores da bolsa desequilibraram o mercado físico, principalmente devido à especulação financeira.

O especialista afirma que o consumo atual e os altos estoques não justificam a queda no valor da commodity. Enquanto o preço da saca não reage, Franzini reclama que os elevados custos de produção, proporcionados pela alta dos fertilizantes e também dos combustíveis, reduziram a renda dos produtores. Neste ano, o Paraná espera produzir 1,64 milhão de sacas de café, contra 1,51 milhão produzidas em 2012. A área atual em produção é de 66 mil hectares.

Fonte: Folha Web
Autor: Ricardo Maia