Peixe e bois se somam em Goiás

0
20

O fomento da piscicultura no Sul de Goiás foi defendido na última sexta-feira, 17, durante o I Workshop de Aqüicultura e Pesca no Lago das Brisas de Buriti Alegre e região. Mais de 400 pessoas, em sua maioria produtores, participaram do evento, representado por 21 municípios. Na região predomina a pecuária de leite e de corte, lavouras de soja, algodão, milho, sorgo e cana. Apesar dessa cultura tradicional, os agropecuaristas mostram a disposição de acrescentar mais uma atividade econômica.

A proposta dos participantes do seminário é o de estimular a criação de peixes numa região rica em recursos hídricos. O projeto tem ainda o propósito de tornar a criação de peixes uma alternativa a mais de renda e de alimento para o produtor rural. O mercado de comercialização compreende além de Goiás, o Distrito Federal e o Triângulo Mineiro.

Desenvolvimento

Um território liderado pela comunidade regional pode estar também a caminho, onde o foco seja o do desenvolvimento econômico e social. Em Goiás existe um território da pesca e aqüicultura denominado Serra da Mesa, compreendendo 21 municípios.

No Brasil, foram identificados 174 territórios com presença de pesca e aqüicultura. Em 2009 teve início a implantação da Política Territorial da Pesca e Aqüicultura em 60 territórios. A cada ano, novos poderão ser incorporados.

O primeiro workshop regional sul estendeu-se por um dia inteiro devido a sua extensa programação de oito palestras e uma mesa-redonda. Tema central: Futuro da piscicultura na região sul de Goiás.

A discussão girou em torno da construção de uma proposta de implantação do território de pesca e aqüicultura da região sul, demarcação de parques aquícolas nos lagos da bacia hidrográfica do rio Paranaíba.

O encontro foi aberto pelo secretário da Agricultura de Buriti Alegre, Alessandro da Fonseca, e pelo prefeito João Alfredo de Mello Neto. O secretário da Agricultura, Antônio Flávio Camilo de Lima, disse da “importância da aqüicultura para a região” e ressaltou o potencial turístico regional.

O superintendente federal da Pesca e Aquicultura em Goiás, Domício Vieira da Silva, pediu o apoio dos deputados federais para viabilizar junto ao Ministério da Pesca R$1,5 milhão com o objetivo de mapear o lago e colocar a produção no sistema de tanque em rede. Otacílio Alves Teixeira, delegado federal do MDA em Goiás, discorreu sobre o potencial da pesca no Estado. Não foi precisado, contudo, os custos operacionais do criatório.

O lago de Buriti Alegre tem 778 quilômetros quadrados, 17 bilhões de metros cúbicos de volume de água e hoje é utilizado para o turismo e atividade de pesca.

Os deputados Rubens Otoni (PT) e Jovair Arantes (PTB) se comprometeram a atender ao apelo do superintendente da Pesca. Uma emenda deverá ser feita na Câmara Federal para desenvolver o parque aquícola e outra cota de R$1,5 milhão para Cachoeira Dourada.

O evento teve o apoio da Prefeitura de Buriti Alegre, Gerencia de Aquicultura e Pesca, Secretaria da Agricultura, Emater, Fundater, MDA e Cooperativa da Pesca.

 

Fonte: http://www.portaldopeixe.com/conteudo/PeixeeboissesomamemGois/1622

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here