Ovinos – Manejo Geral de Cordeiros

0
531
Quando os cuidados com as fêmeas gestantes são rigorosos espera-se que os cordeiros nasçam fortes e com boa resistência orgânica. Porém esta é uma fase muito delicada podendo haver mortalidade dos cordeiros causada por: fome, chuvas com ventos, predadores, falta de atenção do criador, etc.

Por isso é importante tomar as medidas, abaixo relacionadas, visando um melhor e maior desenvolvimento dos cordeiros:

Abrigar os animais – O frio, o vento e a chuva são grandes inimigos do cordeiro recém – nascido, e por este motivo, deve-se abrigar os animais jovens para minimizar este problema.

Fornecimento do colostro – Logo após o nascimento deve ser fornecido o colostro (primeiro leite), que tem efeito imunizante, laxativo, antitóxico e nutritivo. É comum a utilização de banco de colostro (reserva de colostro) para fornecimento aos animais, caso a mãe possa vir a morrer ou tenha dificuldade em amamentar. Quanto mais rápida a ingestão do colostro (6 primeiras horas) melhor, uma vez que, com o passar do tempo o animal perde a capacidade de absorver as imunoglobulinas.

Cura do Umbigo – Após o nascimento deve ser realizada a cura do umbigo dos cordeiros. Usa-se tintura de iodo (10%) para facilitar a cicatrização e evitar infecção.

Identificação dos Cordeiros – É importante a prática de identificação do cordeiro (numeração), seja por tatuagem, brinco ou colar; para saber quem é a mãe e a data do nascimento. Alguns criadores também fazem uma ficha de cada cria para facilitar o controle zootécnico do rebanho.

Descola ou Derrabagem – Consiste no corte da cauda dos ovinos. Este corte é recomendado como prática higiênica em animais lanados. O animal com cauda grande pode reter fezes, urina e secreções do parto.
Recomenda-se o corte da cauda do terceiro ao quinto dia de vida dos cordeiros. O corte é realizado usando-se uma chapa cortante aquecida, ou com alicate (tipo torquês), em uma distância de dois dedos da inserção da cauda. Esta prática não é comum em animais deslanados e de cauda gorda.

Desmame – O desmame é o processo pelo qual se introduz a dieta do animal adulto, para substituir o leite materno, até então única fonte de nutrição do cordeiro.
Alguns autores sugerem que o desmame precoce ocorre quando os cordeiros são retirados do leite com 21 a 45 dias de idade, o semi-precoce pode ocorrer com os animais com 60 a 100 dias, e no tardio os animais apresentam de 100 a 150 dias de idade. Não é aconselhável o desmame após 60 dias de idade, pode ser antieconômico e não ser vantajoso.
O cordeiro com 45 dias está apto a se alimentar normalmente, estando o seu aparelho digestivo quase todo desenvolvido como um ruminante verdadeiro. As ovelhas que desmamam seus cordeiros mais precocemente se recuperam mais rápido para uma próxima gestação.

Vantagens da desmama precoce:
– A transformação da forragem que o animal consome em carne ou leite (que o animal produz) é mais econômica do que a transformação do leite que ele consome.
– Com o manejo apropriado a desmama precoce pode reduzir a infestação de vermes nos cordeiros.
– Ovelhas sem o cordeiro ao pé normalmente produzem mais lã.
– O desmame precoce facilita o manejo do rebanho e as fêmeas apresentam cio mais cedo.
– As fêmeas conseguem recuperar o seu escore corporal mais rápido.

Uma prática comum utilizada em alguns criatórios é o creep-feeding, local reservado para a alimentação dos cordeiros. Este local de acesso exclusivo para os cordeiros pode estar dentro do aprisco ou em algum piquete no pasto.

Os cordeiros continuam em contato com suas mães, mas podem ter acesso a uma alimentação diferenciada que permite o desenvolvimento do seu trato digestivo. A utilização do creep-feeding tem proporcionado bons resultados aos criadores, que conseguem desmame cada vez mais precoce e animais mais fortes.

Castração – A castração é uma questão muito discutida pelos pesquisadores, alguns não indicam a castração de animais que serão abatidos precocemente para a produção de carne, pois apresentam melhores resultados.
A castração, quando realizada, é feita normalmente dos 15 aos 30 dias de idade.
Deve-se ter cuidado com a higiene e a desinfecção da área operada. Existem vários métodos de castração, sendo os mais utilizados: faca e pinça ou torquês.

Fonte: http://www.cico.org.br/ovinos/mcordeiros.php

www.uov.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here