Os 12 Mandamentos do dia-a-dia de um Capril

0
9
1 – Vermifugação
Todas as sextas-feiras, de acordo com as parições. As cabras paridas de Segunda a Sexta de cada semana são vermifugadas na Sexta da semana seguinte. Repetir a vermifugação 21 dias depois.
      – doses: ivermectina: 1 ml / 50 kg;
      – albendazole: 10 mg / kg de Peso Vivo para caprinos e 7,5 mg/kg para ovinos.
Dessa maneira, todas as fêmeas recém-paridas serão vermifugadas pós-parto, mesmo aquelas criadas em sistema intensivo. Neste caso, não será necessária nova vermifugação durante o ano, pois o animal que não vai ao pasto não contrai vermes. Em rebanho semiconfinado outras vermifugações poderão ser feitas de acordo com o manejo da pastagem.
Nunca soltar os animais antes de secar totalmente o orvalho. Nunca soltar os animais em dias de chuva. Todos os animais devem ser suplementados no cocho, com volumoso e concentrado.
 

 

2 – Anotação – Colocar tudo na Agenda, todos os dias. Sempre há o que anotar:
     – casqueamento;
     – cios;
     – coberturas;
     – puberdade;
     – acasalamentos;
     – partos;
     – mudanças de baia;
     – peso das crias, sexo e pelagem (obrigatório);
     – presença de brincos no pescoço;
      – data de descorna de cabritos. Quais são os naturalmente mochos e
       quais foram amochados?
     – problemas de parto e tratamento realizado;
     – toxemia da gestação e tratamento diário;
      – entrada de ração;
     – mudanças de alimentação como: introdução de silagem ou feno.
       Momento em que cada um deixa de ser oferecido. Volta ao capim
       picado;
      – febre;
     – tratamentos de qualquer tipo;
     – visitas ao capril;
     – produção diária de leite.
 

 

3 – Mudança na alimentação
Sempre deve ser feita de forma gradual. Jamais introduzir um alimento novo (silagem, feno, marca nova de concentrado, etc.) sem uma fase prévia de adaptação dos animais.
 

 

4 – Controle leiteiro – sempre uma vez por mês.

5 – Cascos – observar e apará-los, sempre que necessário.

6 – Parição
Observar a cabra atentamente. Acompanhar o rompimento da bolsa, as contrações, para evitar perdas de crias por partos complicados. A placenta é eliminada dentro de 2 horas após o parto. Se a fêmea não eliminar a placenta em até 4 horas, aplicar ocitocina e observar o animal nas próximas horas. Em caso de retenção de placenta ou de lóquio sujo (com mosquinhas rodando em volta da vulva, e secreção purulenta/fétida) aplicar um pentabiótico pequeno-porte, repetindo após 5 dias, se necessário. O lóquio é uma secreção sanguinolenta que a cabra elimina do 1o ao 15o dia após a parição.
Aparar os pêlos ao redor do rabo e do períneo de todas as cabras pelo menos 5 dias antes da data prevista do parto.
 

 

7 – Descorna 
Devem acontecer no máximo até 10 dias após o nascimento, com o ferro quente.
 

 

8 – Brincamento
Colocar os brincos logo após o nascimento. Quando gêmeos, o macho sempre recebe o primeiro número da sequência. O brinco deve ser colocado na parte interna da base da orelha esquerda, para não atrapalhar a tatuagem que será feita futuramente.
 

 

9 – Tatuagens
São feitas a partir de 3 meses de idade, seguindo as normas brasileiras de identificação de rebanhos, exigida pelo Ministério da Agricultura. Sempre na orelha direita, o cabrito recebe o número do Estado da Federação (exemplo: o Rio de Janeiro é n. 20) e mais o número do criador (fornecido pela Associação). Exemplo: o número 20501 significa um animal pertencente ao criatório n. 501 do Estado do Rio de Janeiro.
Na orelha esquerda, o cabrito recebe o número do ano de nascimento e seu número dentro do rebanho. Exemplo: o número 99210 indica o animal n. 210 nascido no ano de 1999.
 

 

10 – CAE
Esse é um cuidado vital. O menor deslize no cuidado com a CAE pode liquidar o rebanho. As normas de higiene e cuidados com as matrizes, crias, colostro, leite e tatuagens devem ser respeitadas 100%. Ficar de olho atento para outras doenças que pegam de assalto os caprinos e ovinos.
 

 

11 – Amamentação
É feita de acordo com o peso ao nascimento. A quantidade de colostro a ser ingerida nas primeiras 24 horas de vida é proporcional a 10% do peso de nascimento do cabrito. Do segundo dia em diante, o volume de leite mamado pode ir aumentando, até atingir 1 litro no 10o dia e 1,5 litros no 15o dia, permanecendo assim até o desmame, que acontecerá aproximadamente aos 2 meses de idade, dependendo do peso do animal. Nos primeiros 5 dias o cabrito mamará 5 vezes ao dia. Do 6o ao 10o dia mamará 3 vezes ao dia. Daí em diante mamará apenas 2 vezes ao dia, até o desmame. Nunca desmamar um cabrito com menos de 15 kg.
 

 

12 – Acasalamento
As cabritas são o futuro do rebanho. Elas devem ser muito bem alimentadas. Deverão atingir 65-70% do peso adulto aos 7-8 meses. Nessa idade já podem ser acasaladas, porém nunca antes disso. Nas raças leiteiras, normalmente, com essa idade, as fêmeas pesam ao redor de 35 kg.
 

 


Fonte: Recista O Berro – Nº 47 – Janeiro/Fevereiro 2002.

Site:

http://www.cabanhainvernada.com.br/index.php?option=content&task=view&id=44&Itemid=44

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here