Oferta maior e demanda lenta reduzem preço do leite

0
7

O preço do leite teve queda de 9,2% no último leilão da plataforma Global Dairy Trade (GDT), quando a tonelada do produto em pó terminou cotada a US$ 2,44 mil.

O GDT é o principal indicador para cotações de lácteos no mercado internacional. Na comparação com o último leilão, realizado em 16 de setembro, quando o preço obtido pela tonelada do leite em pó foi de US$ 2.692,00, a queda é de 9,2% neste intervalo. Em relação ao mesmo período de 2013, a queda é de 53,1%. A cotação na época chegou a US$ 5.208,00.

Esse cenário deverá permanecer no médio e longo prazos, com a retomada do aumento da produção nos principais países produtores, principalmente Nova Zelândia e União Europeia, e em função da demanda lenta por derivados de leite.

De acordo com a Associação de Laticínios da Nova Zelândia (DCANZ), o país produziu 8,35 bilhões de litros de leite no primeiro semestre. Um aumento de produção de 16,3% em relação ao mesmo período de 2013, quando a produção chegou a 7,18 bilhões de litros.

Apesar da queda nos preços internacionais do leite, motivadas pelo aumento da oferta mundial, a conquista de um novo mercado deverá contribuir para as exportações brasileiras de lácteos no segundo semestre. Após o embargo aos produtos lácteos dos Estados Unidos, União Europeia e Austrália, a Rússia avistou no mercado brasileiro a oportunidade de suprir sua demanda interna.

Em 2013 os russos importaram 364 mil toneladas de queijo e 136 mil toneladas de manteiga. As altas frente a 2012 foram de 2,2% e 14,3%, respectivamente. Para o leite fluido, houve queda de 2,5%.

Fonte: DCI

Publicada em quarta-feira, 22 de outubro de 2014