O que preciso saber para atender ao mercado de Pesque Pagues?

0
6

Então, seguem algumas dicas que podem ajudar:

 

a) Produza peixes esportivos

Os peixes para pesque e pague devem ser: de pesca fácil, bons de briga, ou ambos.

Os de pesca fácil, como pacu, tambacu, tambaqui, piauçu, curimbatás e as pirararas são presas dóceis  para qualquer idade. Para capturá-los não é preciso muita experiência com pesca.  Caem fácil no anzol.  Por isso são os preferidos pelos pesque e pagues.

 

Já os peixes bons de briga, como pirarara, pintado, cachapira, dourado,  matrinxãs, piracanjubas garantem emoção aos mais experientes, já que não se entregam fácil. E em geral, são mais valorizados pelos visitantes.

 

b) Produza peixes com maior porte

Os proprietários de pesque e pagues são exigentes em tamanho. Pois,  boa parte da sua lucratividade está relacionada ao número de quilos capturado por visitante.  Logo, peixes maiores resultam em maior consumo, ao final da pescaria. Comumente os peixes para pesque pagues tem peso superior à 2kg.  Mas quanto maior o peixe, maior  é o custo de produção. Então fique atento na formação dos preços de venda.

Como curiosidade, deixo aqui o link de um pesque pague que ficou conhecido por oferecer peixes de grande porte: http://www.paraisoverdepescaelazer.com.br/

Veja as  “fotos de pescaria”.  É incrível, eles tem peixes de quase 40kg!!  É um antigo cliente de alevinos Projeto Pacu. Vale dar uma conferida nas fotos.

 

c) Produza peixes saudáveis e bem nutridos

Saúde e boa nutrição  são importantes para garantir um bom aspecto ao ” troféu”.   Mas mais do que isso,   garantem resistência ao manejo de despesca e transporte.

 

d) Domine as técnicas de redução de estresse na despesca e transporte

O manejo de despesca e  o transporte de peixe vivo são procedimentos técnicos. Você deve conhecer os procedimentos, para garantir a sobrevivencia do seu lote.  Não deixe de planejá-los, isso evitará  possíveis prejuízos econômicos.

 

e) Saiba o que você tem estocado e negocie muito bem

Evite fazer a negociação, sem saber o qual sua real produção (leia aqui sobre manejo em fases). É muito desagradável ao comprador, ir até a propriedade e encontrar os peixes e o lote com tamanho inferior ao combinado (é comum o pesque e pague refugar peixes pequenos). Lembre-se  que é possível evitar transtornos  negociando o preço e forma de pagamento com antecedência.   Esteja sempre atento com  inadimplência.

 

Fonte: http://blog.projetopacu.com.br/mercado/o-que-preciso-saber-para-atender-ao-mercado-de-pesque-pagues/

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here