O PENSA e o Centro de Inteligência de Sistemas Agroindustriais

0
20

Há 15 anos atuando no agronegócio brasileiro e mundial, o Programa de Estudos dos Negócios do Sistema Agroindustrial, PENSA, está baseado na FEA (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, em São Paulo) e na FEARP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, da USP). É compostos por uma rede de professores, estudantes de doutorado, mestrado e graduandos que tem como missão central criar um espaço interativo entre alunos, professores e lideranças do Agribusiness nacional, por meio da pesquisa, ensino e extensão.

Seus objetivos são os de estudar a dinâmica da cadeia agroindustrial, fornecendo subsídios à tomada de decisão e ao planejamento estratégico de organizações privadas e públicas; identificar e analisar as principais tendências dos negócios agroindustriais visando, sobretudo a inserção competitiva do Brasil no Agribusiness internacional, e finalmente, formar e capacitar recursos humanos para a gestão do agronegócio. Trabalha fortemente ligado aos principais grupos internacionais de estudos dos agronegócios, sendo membro do Conselho da International Food and Agribusiness Management Association há mais de 12 anos.

O Programa PENSA (Programa de Agronegócios da USP) estuda, dentro deste centro de inteligência de sistemas agroindustriais, aspectos ligados à estrutura de mercados, estratégia, marketing e ações coletivas. O método desenvolvido pelo PENSA nos últimos 4 anos para quantificar sistemas agroindustriais foi reconhecido pela comunidade acadêmica internacional como sendo eficiente, simples e com possibilidades concretas de proposição de ações. Foi publicado e discutido nos encontros na Academia Européia de Marketing, Associação Mundial de Agronegócios e Sociedade de Sistemas, Cadeias e Redes, na Holanda. No final de 2004 a equipe do PENSA, analisando números dos agronegócio brasileiros, vislumbrou uma oportunidade de olhar o Sistema Agroindustrial do Leite no Brasil, e verificar como ações coletivas poderiam incrementar o desempenho desse competitivo sistema. Contando com o apoio da Câmara Setorial do Leite, CODEAGRO (Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócio, Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, o projeto foi viabilizado e os resultados apresentados em Workshop na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto. Trabalharam nesta equipe ao redor de 9 pessoas, durante 5 meses.

Fonte: Estratégias para o Leite no Brasil – Editora Atlas S.A – Coordenadores: Matheus Alberto Cônsoli, Marcos Fava Neves

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here