Matérias-primas complementares para etanol e energia

0
1

12/08/2014

Ceres Sementes leva Sorgo à 6ª conferência Novas tecnologias em Biomassa

Em apenas quatro anos de atividades no mercado brasileiro, empresa teve projetos selecionados pelo programa PAISS, do BNDES e da Finep
O engenheiro agrônomo Msc José Geraldo Sousa, Gerente de Desenvolvimento da Ceres Sementes do Brasil, faz apresentação aos participantes da 6ª Conferência Novas Tecnologias em Biomassa, nesta terça-feira, dia 12. O evento, que acontece até quarta-feira, no Hotel Mercure Paulista, na cidade de São Paulo, tem como foco as mais promissoras tecnologias e matérias-primas capazes de proporcionar um salto tecnológico na obtenção de biomassa para substituição de combustíveis fósseis.

Fundada nos Estados Unidos em 1996, a Ceres Sementes chegou ao Brasil há cerca de quatro anos. A empresa tem exclusividade em um dos maiores bancos de germoplasma de sorgo do mundo. No ano passado, trouxe ao País as sementes híbridas de sorgo de alta biomassa, cultura específica para cogeração de energia elétrica, geração de calor e produção de etanol celulósico.

Seu portfólio abrange ainda sementes híbridas de sorgo sacarino, matéria-prima complementar à cana-de-açúcar, empregada na produção de etanol e energia, oriunda de bagaço resultante do processo industrial, uma ferramenta tecnológica que também permite ampliar a moagem das unidades produtoras.

A linha de produtos de Sorgo Blade® vem sendo desenvolvida desde a chegada da empresa no Brasil, inicialmente com o sorgo sacarino e sequencialmente com o sorgo de alta biomassa, ambos já comercializados no mercado interno sob a marca Blade. A safra das culturas tem ciclo entre 110 a 150 dias, e ocorre entre novembro e maio, exatamente na entressafra da cana-de-açúcar, atendendo também outros setores que precisam de matéria-prima no período.

O melhoramento genético e a adaptação às diversas regiões do País apresentam ganhos significativos na cultura do sorgo safra após safra, já oferecendo viabilidade econômica aos mercados consumidores. Mais de 40 empresas do setor sucroenergético tiveram contato próximo com a linha de produtos Sorgo Blade® na safra 2013/2014, entre áreas comerciais e de testes. O gerente geral da Ceres no Brasil, André Franco, demonstra grande otimismo para a safra 2014/2015 e comenta que o mercado tem expressado grande interesse nos resultados dos produtos e em seu potencial evolutivo.

Recentemente, a Ceres Sementes foi selecionada para receber recursos do programa PAISS Agrícola – Plano de Apoio Conjunto à Inovação Tecnológica Agrícola do Setor Sucroenergético, uma iniciativa conjunta do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico-Social – e da Finep – Financiadora de Estudos e Projetos. A empresa tem a intenção de usar os recursos para reforçar as atividades e sua infraestrutura no Brasil, principalmente no melhoramento genético de sorgo e na biotecnologia para a cana-de-açúcar, com vistas ao desenvolvimento de variedades transgênicas desta cultura.

Franco ressalta que o investimento proveniente do PAISS reafirma a confiança na empresa e seus produtos por parte do mercado, bem como a liderança no desenvolvimento e melhoramento da cultura de sorgo no Brasil.

“Aumentar a produtividade, proporcionando maior estabilidade de produção safra após safra, representa uma oportunidade chave para o Brasil, reforçando a sua posição global na produção de açúcar e etanol” conclui André Franco.

Fonte: Agrolink