Manipueira, um líquido precioso

0
58
A manipueira é o liquido extraído da mandioca quando ela é prensada no processo de fabricação da farinha. Tanto a mandioca quanto esse líquido contém ácido cianídrico, venenoso e nocivo à alimentação humana e animal.

Devido a isso, muitos produtores de farinha despejavam a manipueira de forma concentrada e em grande quantidade em céu aberto, curso d´água, agredindo o meio ambiente com elevada carga de matérias orgânicas e ácido cianídrico. O produtor agindo assim está poluindo e também desperdiçando um líquido precioso.

Para que a manipueira deixe de ser um veneno e se transforme em um complemento alimentar seguro, basta submetê-la à fermentação anaeróbica, ou seja, deixar o líquido repousar durante 15 dias em um tanque cercado. O ácido cianídrico, considerado venenoso, evapora e resta a manipueira pronta para servir de complemento alimentar para o gado. O produtor deve ter o cuidado de proteger o tanque, pois caso um animal venha beber o liquido durante a fermentação, pode ser fatal.

“Para o animal que não está habituado à ingerir a manipueira, ela dever ser administrada gradativamente até se habituar ao gosto”  diz  o produtor Ivo Roberto Pinto, secretário de Agricultura de São Domingos, município de Sergipe onde existem mais de 250 casas de farinha que abastecem o estado além de Alagoas e Bahia. Todos lá, utilizam a manipueira como adubo, alimento para animais e no combate às pragas.

A manipueira não é só um ótimo complemento alimentar para o gado. Ela serve também para combater pragas e doenças, controlar formigas e insetos e até fabricar vinagre e sabão. Misturada com óleo de mamona, ela pode ser usada também no controle de carrapatos.
Dela também se faz o conhecido tucupi, presente no tacacá e no pato ao tucupi, muito apreciados no norte do país.

Cada vez mais produtores descobrem que a manipueira é uma boa fonte de nutrientes para o solo no cultivo da mandioca, pois ela é rica em potássio, nitrogênio, magnésio, fósforo, cálcio e enxofre e pode ser aplicada no solo ou direto na planta. É um adubo orgânico, ecologicamente correto, reaproveitado no processo produtivo da mandioca.

No uso da manipueira na lavoura como adubo orgânico, há a diluição correta para atingir o efeito desejado. “Em cada caso, a  diluição é diferente, tanto para adubação quanto para o controle de pragas” ensina o pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju-SE), Amaury Santos, especialista em agroecologia.

“Como adubo orgânico, a diluição da manipueira depende da cultura e da forma a ser aplicada, que tanto pode ser no solo quanto na folhagem”,  complementa. Já para o combate às formigas cortadeiras, ele recomenda a manipueira concentrada.

Cartilha

Sob a coordenação do pesquisador Amaury Santos, a Embrapa Tabuleiros Costeiros lançou uma cartilha em forma de estória em quadrinhos que aborda o aproveitamento da manipueira pela comunidade indígena fictícia denominada Katerilin. A cartilha tem edição impressa limitada, mas pode ser acessada pela seguinte página no portal da Embrapa Tabuleiros Costeiros, de Aracaju:

www.cpatc.embrapa.br/publicações_2009/revista_manipuera.pdf
Ivan Marinovic Brscan   Reg. Prof.: 1634/09/58/DF
Embrapa Tabuleiros Costeiros – Aracaju SEwww.cpatc.embrapa.br
ivan@cpatc.embrapa.br
Telefones: (79) 4009-1381
Fonte: http://www.ruralpecuaria.com.br/search/label/Alimenta%C3%A7%C3%A3o%20Bovina

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here