Manejo agressivo causa prejuízos ao bem-estar animal e à produção de leite

0
14

A pecuária leiteira é o setor da produção animal onde a relação entre o homem e o animal é de fundamental importância, devido ao contato que se estabelece diariamente na execução das atividades de rotina, como ordenha, alimentação e práticas zootécnicas. No entanto, a relação homem-animal, definida pelo tipo de manejo, ainda não é considerada como um fator que afete significativamente os índices produtivos, devido a muitos produtores desconhecerem os reais efeitos de se manejar os animais de forma agressiva, com gritos e tapas, ou de maneira positiva, executando ações como “conversar”, tatear e sem gritos.

  De acordo com a natureza, positiva, neutra ou negativa, do manejo adotado na propriedade leiteira, os efeitos no bem-estar e na produção de leite serão diferentes. Baseado nos resultados da pesquisa desenvolvida na Universidade Federal de Pelotas, Pelotas/RS, o manejo agressivo caracterizado por bater com “vara”, conduzir com gritos e não respeitar a velocidade de deslocamento das vacas da sala de espera para a ordenha resulta em animais mais reativos, ou seja, animais inquietos e agressivos.

  Na sala de ordenha, animais reativos dificultam o manejo além da possibilidade de causar acidentes, pois alguns animais se tornam extremamente agressivos, ocorrendo coices que podem machucar o ordenhador e causar danos nos equipamentos de ordenha. Além disso, vacas manejadas de forma agressiva defecam com maior freqüência na sala de ordenha, causando problemas de contaminação do leite e desperdícios de água para limpeza da sala.

  O mais importante do manejo agressivo com as vacas é a consequência na produção de leite, onde se encontra uma queda na produção de 2,82 litros por dia. Levando este valor para uma propriedade com 50 vacas em lactação e realizando uma análise econômica, encontra-se o seguinte: 2,82 litros/dia x 50 vacas=141 litros/dia x R$ 0,50 (estimativa do preço do litro do leite) = R$ 70,50 ou seja, se a propriedade trabalhar com o manejo agressivo ocorrerá uma perda de R$ 70,50 por dia, o que significa que durante um mês (R$ 70,50 x 30 dias) o produtor deixa de ganhar R$ 2.115,00. Esta análise econômica serve para demonstrar o quanto o manejo agressivo afeta negativamente à lucratividade das propriedades leiteiras.

  Para que a fazenda leiteira atenda as necessidades de bem-estar dos animais, facilite o manejo diário com as vacas e aumente a produção de leite é necessário que o manejo humano adotado seja de ótima qualidade. Portanto, o fator manejo tem reflexo econômico na atividade leiteira, o qual merece atenção por parte dos técnicos, extensionistas e produtores para se incrementar a produção na pecuária leiteira.

Fonte: http://www.lavras24horas.com.br/portal/manejo-agressivo-causa-prejuizos-ao-bem-estar-animal-e-a-producao-de-leite/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here