Governo precisa ter postura preventiva para barrar helicoverpa, alerta FPA

0
9

26/11/2013

A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) quer uma postura preventiva do governo diante do avanço da lagarta helicoverpa, que desde 2012 tem atingido lavouras soja, algodão e milho em todo o país.

Para evitar prejuízos ainda maiores, a FPA deu início a uma mobilização com entidades representativas dos produtores rurais para pedir ao governo a liberação dos defensivos ao combate às pragas.

O vice-presidente da FPA, deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), lembra que somente em 2012 os prejuízos foram de R$ 4 bilhões aos estados produtores.

“Se nós não fizermos essa mobilização, vamos ficar no prejuízo. Para isso os ministérios da Agricultura, do Meio Ambiente e a Anvisa precisam andar rápido para liberar novas moléculas que já existem em outros países. Nós temos de aplicar estes produtos aqui porque não temos substitutos. Ano passado os prejuízos chegaram a 4 bilhões de reais. Quanto vai chegar neste ano?”, questiona.

O parlamentar também lembra as pragas que atingem a fruticultura, como a mosca branca, entre outras que precisam ser combatidas.

“Temos de fazer o nosso dever de casa que é mobilizar e orientar os produtores para evitar maiores prejuízos à agricultura no Brasil”, conclui.

Na semana passada o Ministério da Agricultura publicou decreto que reconhece o pedido de emergência fitossanitária por parte do governo de Mato Grosso por causa da lagarta. O mesmo decreto foi publicado há duas semanas para permitir que agricultores da Bahia, principalmente da região oeste, tivesse permissão para importar agroquímicos cuja utilização é proibida em território nacional.

Fonte: AgroOlhar
Autor: Vinícius Tavares