Feijão: Estimativas para a oferta entre fevereiro e maio

0
6
pixel1 (CC0), Pixabay

Publicado em 04/02/2019

Feijão-carioca – Já não há mais receio por parte dos produtores que vão colher nos próximos 60 dias com respeito aos preços. O cenário a cada dia fica mais claro e o risco de quedas abruptas fica afastado, ainda que o valor esteja em níveis estratosféricos. Outra preocupação começa a ser afastada: a chegada das chuvas. A grande maioria das regiões produtoras começaram a receber, algumas mais, outras menos, as chuvas e a temperatura retrocedeu um pouco, tornando mais suportável para as plantas que estão emergindo. Isto diz respeito às lavouras recentemente implantadas, pois as que estão para ser colhidas neste início de fevereiro terão baixíssima produtividade. Na última sexta-feira, um bom volume de negócios ocorreu, chegando a ser reportado, no interior de São Paulo, R$ 360/370 por Feijão-carioca nota 9 acima. Não se sabe se será usado para plantar, mas o fato é que a notícia se espalhou para todo o Brasil. No sábado, os produtores continuaram recebendo telefonemas insistentes dos corretores. Alguns comerciantes se revoltam e acham que o produtor tem obrigação de vender. Sabemos que não é bem assim. O tempo até a próxima colheita é longo. Claro que a recomendação é que os produtores não aguardem para vender somente no pico. Seja qual for o volume disponível, o bom senso recomenda não arriscar com mais do que 30% de sua produção. Ainda para muitos não cicatrizou a “lambada” que o mercado deu em 2016, após subir vertiginosamente e, quando começou a cair, não parou mais.
Feijão-preto – Durante a semana passada, vários empacotadores reportaram ter dificuldades, principalmente no Rio de Janeiro, para repassar as altas que elevaram os preços FOB Paraná para R$ 260. O grande volume de Feijão-preto que entrou da Argentina nos últimos dias mantém o mercado de Feijões comerciais abastecido.
Feijão-rajado – Com pouca oferta, os valores negociados a semana passada oscilaram ao redor de R$ 335.
Feijão-tumucumaque, Guariba – A boa procura e os raros lotes sem danos por carunchos fizeram valorizar os melhores lotes, chegando, na última sexta-feira, a serem reportados lotes vendidos por R$ 120, FOB norte do Mato Grosso.
Se você quiser saber qual a estimativa para a produção entre fevereiro e maio deste ano, não perca o encontro nesta próxima sexta-feira, em Paracatu, às 20 horas, no Hotel Ipê Florido. Os assinantes do IBRAFE receberão, no sábado dia 09, a conjuntura para esta segunda safra. Assine e veja o que poderá acontecer no mercado.
Entre em contato com a Kamylla pelo WhatsApp 41 9137-1831.
onte: IBRAFE