Esmagamento da soja no MT atingiu em outubro pior nível desde 2008

0
5

26/11/2013

Conforme levantamento do Imea, esmagamento do grão no MT atingiu em outubro pior nível desde 2008

Mato Grosso acumula, até outubro deste ano, o pior nível de esmagamento da soja desde 2008. Conforme levantamento realizado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), nos dez primeiros meses do ano o volume processado soma 6,28 milhões de toneladas (t). No ano passado, neste mesmo período, haviam sido esmagadas quase 600 mil toneladas a mais. O fator que mais impactou para esta queda foi a grande desvalorização do óleo no mercado internacional, gerando uma menor margem de lucro no esmagamento.

Ainda como destaca o Instituto, mesmo com processamento menor, o Estado conseguiu exportar 15% a mais. No mercado internacional o preço do óleo teve queda de 17,5%, impulsionada pela elevação nos estoques mundiais dos principais óleos, que na safra 2013/14 deve ter aumento de 17%, mesmo com a baixa nos estoques de óleo de soja em 3,6%. O grande vilão no preço do óleo de soja é o óleo de palma, que vai ter elevação na produção de 2,4%, porém, os estoques devem ter elevação de 18,3%, o que pressiona para baixo os preços.

“O preço do óleo também é o grande responsável pelo preço da soja, que neste ano teve uma queda em Chicago de 6,8%, e só não foi maior devido à valorização do preço do farelo de soja, que teve alta em 2013 de 4,5%, sustentando o preço da soja em grãos. Desta forma, a queda no preço do óleo faz com que o esmagamento fique menor, e com isso o preço do farelo, em Mato Grosso, elevado em mais de 9%”. Como completam os analistas, o recuo no Estado foi maior que o registrado na Bolsa de Chicago – onde se formam os preços internacionais dos principais grãos – mostrando que o mercado interno está com uma demanda maior que a oferta, pressionando os preços.

OFERTA E DEMANDA: O volume de soja esmagada em Mato Grosso em outubro de 2013 foi de 537 mil toneladas, totalizando 6,28 milhões de toneladas de soja processada neste ano até então. Este é o terceiro menor acumulado mensal esmagado em 2013 e também o menor volume registrado para o mês de outubro desde 2008. O valor médio pago pela tonelada esmagada, que é em média 80% transformada em farelo e 20% em óleo de soja, foi de R$ 1.297,01 neste mês, terceira melhor remuneração paga no ano. “Porém, se compararmos à média de remuneração do ano passado, esse valor é 15% menor, justificando o menor esmagamento”.

TERMÔMETRO DA SAFRA – De acordo com levantamento da AgRural concluído na última sexta-feira, as plantadeiras avançaram dez pontos nos últimos sete dias no país, passando por 79% da área destinada ao grão nesta temporada, em linha com os 78% de um ano atrás e ante 81% da média de cinco anos. Nos estados onde o plantio já está encerrado ou próximo disso, a umidade favorece o desenvolvimento das lavouras. Em Mato Grosso o plantio chegou a 96% da área destinada à soja, um ponto à frente de 2012.

Fonte: Diário de Cuiabá
Autor: Marianna Peres