Encontrado álcool etílico em leite e requeijão da marca “Piá”

0
21

05/08/2014

Após encontrar formol, água de poço e até ureia no leite produzido por diversas indústrias gaúchas, desta vez foi detectado álcool etílico em produtos da marca “Piá”. A Superintendência Federal de Agricultura do Rio Grande do Sul determinou à Cooperativa de Alimentos Petrópolis o imediato recolhimento de lotes de leite UHT integral fabricados em 26 de junho de 2014.

Também serão recolhidos lotes de requeijão light com data de fabricação de 30 de junho de 2014, produzidos no posto de refrigeração de Vila Flores. O local – pertencente à Cooperativa Piá – foi interditado no dia 15 de julho, após encontrarem álcool etílico em amostra de leite cru refrigerado.

“No leite cru não é permitida a adição de nenhum produto, seja durante a coleta ou o transporte em caminhões refrigerados. Ou seja, dos postos de captação até chegar à indústria processadora, nenhum conservante pode ser adicionado. Já durante o processamento do leite UHT [ou longa vida, vendido em caixas], a legislação permite que a indústria adicione o citrato ao leite UHT, de acordo com a Portaria 370, de 1997, do Ministério da Agricultura. Soda cáustica, bicarbonato de sódio, água oxigenada […] Nada disso é para ser adicionado e [se encontrados no leite] indicam que houve uma adição fraudulenta dos compostos”, afirma a professora da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp, Mirna Gigante.

Já o superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no Rio Grande do Sul, Francisco Signor, preferiu minimizar o fato. “Prejudica uma marca que já implantou ações corretivas e é nocivo para o mercado. Tens notícia de alguém que já tenha morrido por ter tomado o leite gaúcho? Me preocupa mais quem morre por não tomar leite”, declarou.

Veja a “Nota oficial da Cooperativa Petrópolis (Piá)”:

1 – Nas análises internas e nas amostras dos referidos lotes enviados para análise externa em laboratório credenciado pelo Ministério da Agricultura, não ficou constatado qualquer irregularidade nos itens produzidos;

2 – Ainda assim, a Cooperativa Agropecuária Petrópolis Ltda procedeu o recolhimento no mercado dos referidos lotes, conforme solicitado pela Superintendência de Agricultura.

3 – Os produtos que ainda estiverem no mercado serão recolhidos.

Fonte: Agrolink
Autor: Leonardo Gottems