Checklist: Como melhorar seus indicadores de qualidade do leite

0
35
pixel2013 (CC0), Pixabay

A indústria de lácteos está cada vez mais preocupada com a qualidade do seu produto e essa preocupação tende a se tornar cada vez mais especialmente porque vivemos em uma época em que a credibilidade da marca é muito valorizada. Por isso mesmo, a legislação que regulamenta a indústria está sempre sendo desenvolvida e aprimorada, pois isso ajuda a garantir que o leite e os derivados que são produzidos e vendidos no país sejam de qualidade cada vez melhores.

Se você é um produtor de leite, precisa entender quais são os indicadores de qualidade e como melhorar esses indicadores.

Para o leite in natura, a qualidade é determinada basicamente por três parâmetros:

1) Baixas contagens de células somáticas (CCS);
2) Baixas contagens de bactérias mesófilas (CTB);
3) Ausência de resíduos de antibióticos ou de outros resíduos químicos.

Confira abaixo um checklist de pontos essenciais a serem considerados quando se pretende melhorar esses indicadores de qualidade:

Contagem de células somáticas

A principal chave para diminuir a CCS do leite é o manejo. Dentro deste ponto, considera-se também a questão da higiene da fazenda. Confira abaixo algumas dicas para reduzir a CCS:

  • Realizar o teste da caneca de fundo preto;
  • Desinfectar os tetos antes e após a ordenha (uso de pré e pós-dipping);
  • Tratar imediatamente casos de mastite clínica e subclínica;
  • Fazer o descarte de vacas problema – mastite crônica ou CCS alta;
  • Higienização de equipamentos de ordenha;
  • Manter o ambiente das vacas sem lama e barro;
  • Uso de linha de ordenha, ou seja, ordenhar primeiramente os animais sadios e depois aqueles com mastite subclínica;
  • Teste do CMT de vacas recém-paridas;
  • Vacinação para o controle de mastite;
  • Monitoramento da rotina de ordenha dos funcionários e participação ativa do gerente ou proprietário durante o processo de ordenha;
  • Busca de informações voltadas ao correto controle da mastite por parte de veterinários e especialistas.

O produtor deve acompanhar mensalmente as análises do laticínio para ver o impacto das suas ações corretivas, pois somente assim será possível fazer os ajustes necessários.

Contagem Bacteriana Total

O principal meio de controlar a CBT é manter a higiene, desde as mãos dos colaboradores até o tanque resfriador.

Confira abaixo algumas dicas para reduzir a CBT:

  • Certificar de que a temperatura do leite no tanque resfriador esteja próxima a 3°C, três horas após a ordenha;
  • Limpar o tanque resfriador imediatamente após a coleta do leite;
  • Usar produtos específicos para limpeza;
  • Certificar que os tetos estão secos e limpos antes de ordenhá-los;
  • Utilizar água potável para limpeza dos equipamentos.

Resíduos de antibióticos 

Os medicamentos usados nos animais, por qualquer via de aplicação (intramamária, intramuscular, intrauterina, oral, via alimentos e subcutânea), podem resultar em resíduos no leite. Inclusive, o tratamento intramamário de um único quarto com mastite resulta na passagem do antibiótico por meio da corrente sanguínea para o leite presente nos outros quartos, devendo-se então descartar todos os quartos dos animais durante o período em que houver a presença do resíduo da droga.

Confira abaixo algumas medidas que precisam ser tomadas para reduzir esse problema:

  • Implantar um programa de controle sanitário de mastite e outras enfermidades baseado em medidas preventivas;
  • Marcar e identificar as vacas tratadas;
  • Separar vacas tratadas, que devem ser ordenhadas por último;
  • Descartar o leite de todos os quartos das vacas tratadas;
  • Manter registros de todos os tratamentos realizados;
  • Usar somente medicamentos recomendados para os animais em lactação, de acordo com o Ministério da Agricultura, e sempre de acordo com a orientação veterinária;
  • Respeitar o período de carência, de acordo com a bula e orientação veterinária;
  • Não aumentar nem alterar as dosagens recomendadas. O tratamento deve ocorrer de acordo com o determinado pelo veterinário e orientado na bula do medicamento;
  • Não combinar antibióticos e drogas diferentes sem necessidade e orientação veterinária;
  • Instruir e orientar colaboradores e ordenhadores sobre o uso correto de antibióticos nos animais em lactação;
  • Armazenar todas as drogas em local adequado, separando os medicamentos para uso de vaca seca daqueles para uso nas vacas em lactação, restringindo o acesso apenas às pessoas responsáveis pelos tratamentos.

O Sítio São Sebastião da família Stockler, é  referência em qualidade, pois produz leite com CCS abaixo de 100 mil.

Mais informações:

Fonte MILKPOINT