Cultivo de Rosas

0
69

As roseiras são plantas bastante fortes, resistindo bem ao calor, ao frio e às podas constantes, quando são para a produção comercial

RuralNews

Exigem locais com bastante sol, no mínimo de 6 a 10 horas por dia devendo, para isso, ficar bem longe de árvores, muros, casas, etc. Preferem solos argilo-arenosos, profundos e bem drenados, porque exigem regas abundantes, mas não gostam de umidade excessiva ou prolongada.

Produzem bem, praticamente, em qualquer solo, apesar da preferência acima citada, desde que sejam plantadas em uma cova de, no mínimo, 30x30cm e 35 a 40cm de profundidade. Deve ser bem adubada, com 15 a 20 litros de esterco ou composto.

Plantação

Embora as roseiras se reproduzam por sementes e estacas, o melhor é plantar enxertos, porque há maior garantia que produzirão a mesma flor que a roseira da qual foi tirada a borbulha ou gema. Para fazer o enxerto, o melhor cavalo é o “americano”, porque, além de resistente, não tem espinhos, o que facilita os trabalhos, não havendo o perigo de ferimentos.

Os enxertos podem ser feitos em viveiros de mudas de cavalos e depois transplantados para o lugar definitivo ou, então, já plantamos os cavalos no lugar definitivo e depois fazemos os enxertos. Essa última técnica evita o transplante, que dá mais trabalho e sempre faz a planta sofrer um pouco.

O transplante deve ser feito de abril até o início de agosto podendo ser até mais tarde, conforme a região, desde que possam receber regas abundantes e regulares. O procedimento para o transplante é o seguinte:

– arrancar as plantas, com cuidado para não cortar as raízes;

– retirar a terra que fica presa às raízes e enrolá-las em um pano bem úmido, para evitar que fiquem ressecadas ou, então, deitá-las, inclinadas, em valetas de 40 a 50cm de profundidade, para que se conservem melhor, até serem plantadas;

– na hora do plantio devemos, com um canivete bem afiado, fazer uma “limpeza” nas raízes, cortando todas as compridas demais, as quebradas e as podres, sempre lembrando que quanto mais raízes ficarem, melhor;

– plantar as roseiras na cova, mas com as raízes o mais possível na sua posição normal anterior, evitando que fiquem enroladas ou viradas para cima e só a enterramos até a altura do colo;

Tão logo elas fiquem na posição certa, já dentro da cova, devem ser cobertas com terra e depois apertamos um pouco para firmar a roseira e para que as raízes fiquem bem em contato com a terra. Devemos regá-la bastante até a terra ficar bem molhada. Podemos, depois, cobrir as covas somente ou todo o terreno, com uma cobertura morta de palha, capim seco, maravalha, cavacos de madeira ou palha de arroz.

Fonte: http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php?tit=cultivo_de_rosas&id=62254

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here