Cultivares de Conilon do Espírito Santo e suas principais características

0
22

O Estado do Espírito Santo é o maior produtor de café conilon do Brasil, com área plantada em torno de 320 mil ha, produção de aproximadamente 8 milhões de sacas e produtividade média de 27,0 sc/ha.

Nos últimos 15 anos verificou-se um grande avanço na cafeicultura do conilon no Estado. Os principais fatores responsáveis por esse incremento foram a renovação e o revigoramento de lavouras com a utilização de variedades melhoradas, a poda, a utilização de adubações, a irrigação, entre outros, aliados a um programa de capacitação de produtores e o estabelecimento de parcerias para instalação de jardins clonais visando disponibilizar materiais genéticos superiores aos produtores e viveiristas.

O café conilon pertence à espécie Coffea canephora, que é diplóide e auto-incompatível. A auto-incompatibilidade no café conilon significa a não fecundação entre flores da mesma planta e de plantas geneticamente iguais e deficiência nos cruzamentos quando se cultivam materiais genéticos aparentados. Assim, estudos prévios de compatibilidade genética são de fundamental importância na definição dos clones que deverão ser agrupados para formação de variedades clonais.

Assim, para que ocorra a produção de frutos em uma lavoura, há necessidade de se ter uma lavoura formada com plantas geneticamente diferentes. Por conseguinte, lavouras formadas de apenas um clone não produzirão frutos. Por ouro lado, se a lavoura for formada por dois ou mais clones geneticamente muito semelhantes, também poderá ocorrer falha na fecundação e pequena produção de frutos.

Por isso, antes da recomendação das variedades clonais de café conilon, o Incaper avaliou se os clones componentes de cada uma de suas variedades clonais se cruzavam e produziam sementes. Quando os clones cruzam entre si, são denominados de clones compatíveis.

2. Cultivares Desenvolvidas pelo Incaper para o Estado do Espírito Santo

O programa de melhoramento genético de café conilon iniciou-se no Instituto Capixaba de pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) em 1985, considerando as diferentes características que a espécie apresenta. Neste programa, foram desenvolvidas e recomendadas cinco variedades clonais (reprodução assexuada) e uma variedade de propagação por sementes (reprodução sexuada) e geradas informações importantes para a espécie. As cultivares desenvolvidas e recomendadas pelo Incaper são:

• Emcapa 8111
• Emcapa 8121
• Emcapa 8131
• Emcapa 8141 Robustão Capixaba
• Emcaper 8151 Robusta Tropical
• Vitória Incaper 8142

3. Principais Características das Cultivares de Café Conilon

Emcapa 8111: cultivar clonal formada pelo agrupamento de 09 clones compatíveis entre si, lançada e recomendada em 1993. Caracteriza-se por apresentar maturação precoce dos frutos, cuja colheita ocorre, normalmente, até o mês de maio e produtividade média de 58 sc/ha.

Emcapa 8121: cultivar clonal formada pelo agrupamento de 14 clones compatíveis entre si, lançada e recomendada em 1993. Apresenta maturação dos frutos em época intermediária, entre as cultivares Emcapa 8111 e Emcapa 8131, com a colheita ocorrendo normalmente no mês de junho, e produtividade média de 60 sc/ha.

Emcapa 8131: cultivar clonal formada pelo agrupamento de 09 clones compatíveis entre si, lançada e recomendada em 1993. Apresenta maturação tardia dos frutos, com colheita ocorrendo normalmente nos meses de julho/agosto, e produtividade média de 60 sc/ha.

Emcapa 8141 – Robustão Capixaba: cultivar clonal tolerante à seca, formada pelo agrupamento de 10 clones tolerantes à seca, compatíveis entre si, lançada e recomendada em 1999. Os clones componentes dessa cultivar se destacaram em condições de estresse hídrico, em produtividade, com média de 54 sc/ha, e parâmetros fisiológicos considerados. Caracteriza-se também como cultivar responsiva à suplementação de água, alcançando nessas condições, produtividade média de até 112,5 sacas beneficiadas por hectare nas quatro primeiras colheitas.

Emcaper 8151 – Robusta Tropical: Variedade de propagação por sementes, desenvolvida pelo Incaper e lançada no ano de 2000. Oriunda da recombinação de 53 clones elites do programa de melhoramento de café Conilon do Instituto. A produtividade média desta variedade é de 50,3 sc/ha. A utilização da cultivar Robusta Tropical confere maior estabilidade ao sistema produtivo, uma vez se constitui em uma população. Como é formada pela recombinação de materiais genéticos, não há uniformidade de maturação entre as plantas, devendo ser colhida quando a maior parte dos frutos encontrarem-se maduros e iniciar o aparecimento dos primeiros frutos secos.

Vitória Incaper 8142: cultivar clonal desenvolvida pelo Incaper formada pelo agrupamento de 13 clones superiores compatíveis entre si, lançada e recomendada em 2004. Destaca-se com produtividade média de 70,4 sc/ha, tolerância à seca, grãos grandes e elevada adaptabilidade e estabilidade de produção.

Figuras 1 e 2 – Caracterização da produção e uniformidade de maturação da variedade Vitória:



Os clones das três primeiras cultivares (Emcapa 8111, Emcapa 8121 e Emcapa 8131) podem ser distribuídos aleatoriamente no plantio, pois possuem, dentro de cada grupo, a mesma época de maturação dos frutos, enquanto os clones das cultivares Emcapa 8141 Robustão Capixaba e Vitória Incaper 8142 devem ser plantados em linhas alternadas, pois não apresentam maturação na mesma época, embora haja uniformidade de maturação dentro de cada um deles. A colheita deve ser realizada linha por linha, colhendo-se em determinada época apenas os clones que já se encontrarem no estágio adequado de maturação. Essa forma de escalonamento da colheita proporciona a obtenção de um produto final de melhor qualidade, além de uma melhor e mais ampla distribuição do período da colheita. Os espaçamentos indicados variam de 2,5 a 3,5 m entre linhas e de 1,0 a 1,5 m entre plantas.

Após o lançamento e a recomendação dessas variedades clonais, de forma a torná-las disponíveis aos cafeicultores, foi necessária a definição de estratégias de multiplicação dos clones eleitos como componentes de cada uma delas. Para tanto, o Incaper estabeleceu parcerias com diferentes Instituições em várias regiões do Estado para a formação de jardins ou campos clonais com os materiais genéticos selecionados. Nas parcerias estabelecidas para implantação dos Jardins Clonais, coube ao Incaper a sessão das mudas dos materiais genéticos e as orientações técnicas necessárias, e às instituições parceiras, a responsabilidade da implantação, condução e distribuição das mudas ou “estaquinhas”, de acordo com critérios estabelecidos por cada uma delas.

Fonte: http://www.cafepoint.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here