Conferência global aborda segurança alimentar

0
2
congerdesign (CC0), Pixabay

13/02/2019

A cooperação internacional para alcançar a segurança alimentar e o desenvolvimento sustentável é o tema da conferência internacional de Segurança Alimentar, em Addis Ababa, na Etiópia. O evento é organizado e organizado pela União Africana (UA), a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Mundial do Comércio (OMC).

De acordo com as organizações anfitriãs, os alimentos contaminados com bactérias, vírus, parasitas, toxinas ou substâncias químicas causam adoecimento de mais de 600 milhões de pessoas e 420 mil morrem em todo o mundo a cada ano. As doenças ligadas a alimentos inseguros sobrecarregam os sistemas de saúde e prejudicam as economias, o comércio e o turismo

Nesse cenário, o impacto dos alimentos inseguros custa às economias de baixa e média renda cerca de US$ 95 bilhões em produtividade perdida a cada ano. Os participantes da conferência observaram que, devido a essas ameaças, a segurança alimentar deve ser uma prioridade em todas as etapas da cadeia alimentar, desde a produção até a colheita, processamento, armazenamento, distribuição, preparação e consumo.

“Esta conferência é uma grande oportunidade para a comunidade internacional fortalecer os compromissos políticos e se envolver em ações-chave. Proteger nossa comida é uma responsabilidade compartilhada. Todos nós devemos fazer a nossa parte. Devemos trabalhar juntos para aumentar a segurança alimentar nas agendas políticas nacionais e internacionais”, disse José Graziano da Silva, diretor-geral da FAO.

Cerca de 130 países participam da conferência, incluindo ministros da agricultura, saúde e comércio. Também participam importantes especialistas científicos, agências parceiras e representantes de consumidores, produtores de alimentos, organizações da sociedade civil e do setor privado.

 

Fonte: Agrolink