Caramuru levanta US$ 220 mi para financiar safra e alongar perfil da dívida

0
4

26/11/2013

A Caramuru Alimentos está fechando um contrato de financiamento de médio prazo, de US$ 220 milhões, em operação que envolveu quinze bancos internacionais, liderados pelo Rabobank. “Os recursos desta operação serão empregados no alongamento da dívida da empresa e na contratação da safra 2013/14”, informa o diretor administrativo/financeiro da empresa, Júlio Costa. Segundo ele, esta é a terceira operação do gênero que a Caramuru faz no mercado internacional com a liderança do Rabobank. A primeira delas, contratada em 2011, totalizou US$ 140 milhões e a segunda, no ano passado, US$ 203 milhões.

“A operação, um “pré-pagamento de exportação”, foi um grande sucesso em termos financeiros, atestando a boa imagem da empresa no mercado internacional”, diz Costa. Com efeito, a Caramuru foi a mercado inicialmente objetivando um financiamento de US$ 200 milhões e recebeu oferta superior a duas vezes: US$ 495 milhões, finalizando a operação em US$ 220 milhões.

Além de aplicado no alongamento da dívida da empresa, o financiamento apoiará a originação de grãos, cuja capacidade estática de processamento está sendo ampliada de 1,230 milhão de toneladas anuais para 1,980 milhão de toneladas anuais. Um crescimento que representa 61%, originado do arrendamento de uma unidade industrial de extração de soja, localizada em Sorriso (MT), com capacidade de 300.000 toneladas, e da implantação de uma unidade em Ipameri (GO), com capacidade de 450.000 toneladas.

A atratividade dessa ampliação se completará pela integração do esmagamento de soja com a unidade de biodiesel já existente, na cidade de Ipameri (GO). A planta industrial teve início em 2003, com uma unidade armazenadora, com capacidade estática de 120.000 toneladas.

Paralelamente, a Caramuru Alimentos foca na produção de produtos e serviços diferenciados, com agregação de valor, como é o caso de lecitina de soja, farelo de soja e proteína concentrada de soja não-transgênicos, produtos exportados para os mercados europeu e asiático.

“Com programas desta natureza, pretendemos agregar valor à produção, de forma a nos mantermos competitivos num ambiente cada vez menos favorável à produção de artigos industrializados”, diz o vice-presidente da empresa, César Borges de Sousa.

A Caramuru Alimentos, que deve faturar R$ 3,3 bilhões em 2013, projeta um crescimento de seu volume de negócios no próximo ano da ordem de 6%, somando R$ 3,5 bilhões. No quadro abaixo, os principais indicadores de desempenho do grupo.

Fonte: Agrolink