Canadá responde ao bloqueio chinês em relação à canola

0
5
WikimediaImages (CC0), Pixabay

08/03/2019

A ministra de Relações Exteriores do Canadá, Chrystia Freeland, expressou sua confiança na qualidade da canola do país e disse que o governo está trabalhando para coletar informações sobre o bloqueio da China de alguns embarques. Isso porque o país asiático cancelou o registro da Richardson International para transportar canola, segundo documentos datados de 1º de março.

“Eu tenho uma tremenda confiança na qualidade da canola”, disse Freeland durante a Convenção Canadense de Culturas em Montreal, Quebec, Canadá, em 6 de março. “Acho importante reunir o máximo de informações possível antes de tirar conclusões”, completa a ministra.

O Ministério das Relações Exteriores da China disse em 6 de março que tomou essa medida devido ao medo de infestação de insetos. Freeland afirmou que o governo canadense está ciente da importância do mercado chinês para a indústria agrícola do seu país, já que cerca de 40% das exportações de canola do Canadá vão para a China, segundo o Conselho de Canola do Canadá.

“Eu percebo que há alguns desafios significativos hoje, e estamos trabalhando muito duro nisso. Falei com alguns de nossos principais executivos de empresas de commodities e vamos trabalhar juntos. Estamos preparados para trabalhar com isso. Eu realmente quero dizer que isso é algo que precisamos enfrentar juntos, e nós vamos”, indica.

Além do mais recente movimento da China sobre a canola, o Canadá enfrentou outras barreiras comerciais não-tarifárias no passado que são contrárias aos acordos comerciais. As exportações de trigo duro para a Itália praticamente pararam em 2018, devido aos requisitos de rotulagem do país de origem, por exemplo.

 

Fonte: Agrolink