Bayer quer aumentar qualidade do trigo brasileiro

0
10
20/08/14 – 10:46
A Bayer CropScience está investindo forte para aumentar a qualidade do trigo brasileiro através do tratamento de sementes e manejo de pragas, doenças e de plantas daninhas. O objetivo é que as plantas possam expressar o máximo de potencial e a alta qualidade dos grãos, afirma a gerente de Marketing Estratégico Cereais e Arroz da empresa, Márcia Terzian.

“No ano passado tivemos dificuldade na importação de trigo argentino, e o trigo canadense entrou no Brasil por um preço bem mais alto. Por isso, está havendo forte pressão dos moinhos por recebimento de trigo de melhor qualidade, com pagamento de preço diferenciado”, justifica ela.

“O trigo é um cultivo de inverno, que normalmente vem após a colheita da soja; temos que pensar na lavoura do produtor como um sistema, fazendo manejo cultural mais completo para obtermos o melhor potencial produtivo e de qualidade das duas culturas. A cultura tem um potencial produtivo e, alguns componentes como invasoras, pragas e doenças podem reduzir esse potencial, por isso precisamos minimizar esses impactos”, explica.

Márcia defende que a Bayer é a empresa que possui o portfólio mais diferenciado para o manejo da cultura, com o fungicida Baytan® e o inseticida CroStar® para o tratamento de sementes; e defensivos utilizados em diversos estágios da produção, como Hussar® (herbicida), Conect® e Certero® (inseticidas), FOX® e Nativo® (fungicidas).

Para obter mais produtividade e qualidade do produto final, ela recomenda “utilizar cultivares adaptados e sementes certificadas com elevado potencial produtivo e de qualidade, a adubação adequada para região e cultivo, realizar o manejo indicado na época ideal e contar com assistência técnica especializada”.

“Desenvolvemos a régua de cultivares à aplicação de fungicidas. Com ela, agrupamos diferentes cultivares de trigo em quatro grupos, em que cada um tem uma resposta à aplicação de fungicidas. Assim recomendamos um determinado número de aplicações, de acordo com a resposta em produtividade desses cultivares. Isso continua sendo um projeto que fazemos para entregar informação para que o nosso cliente produza mais e melhor”, conclui.

Agrolink
Autor: Leonardo Gottems