OIE libera carne brasileira: “risco insignificante”

0
12
Pixel-Sepp (CC0), Pixabay

De acordo com entidade, não há razão para alterar o status sanitário do Brasil

Publicado em 04/06/2019

A OIE (Organização Internacional de Saúde Animal) encerrou a suspeita envolvendo o Brasil após registrou de um caso do “mal da vaca louca” (EEB, Encefalopatia Espongiforme Bovina). De acordo com entidade, não há razão para alterar o status sanitário do Brasil, que segue como “risco insignificante” para a doença.

De acordo com nota oficial divulgada pelo Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), a OIE foi notificada sobre a ocorrência de EEB numa vaca de 17 anos que foi abatida após ter confirmada a doença. Os responsáveis também incineraram os materiais que representavam risco de contágio.

Segundo a Organização Internacional de Saúde Animal, “não haverá relatórios suplementares sobre o caso”. O Brasil chegou a suspender temporariamente as exportações de carne bovina para a China, cumprindo protocolo de acordo bilateral com o país asiático.

NOTA OFICIAL MAPA

1 – Examinada a notificação da ocorrência pela Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), este órgão determinou hoje (3) o encerramento do caso sem alteração do status sanitário brasileiro, que segue como risco insignificante para a doença.

2 – A OIE informou ainda que não haverá relatórios suplementares sobre o caso.

3 – No caso da China, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil suspendeu temporariamente a emissão de certificados sanitários até que a autoridade chinesa conclua sua avaliação das informações já transmitidas sobre o episódio, cumprindo-se, assim, o disposto no protocolo bilateral assinado em 2015.

Fonte AGROLINK