Prêmio BNDES é lançado para valorizar experiências em sistemas agrícolas tradicionais

0
6
michele Walfred. pixabay

Confirmado para o dia 23 de maio (quinta-feira) o lançamento da segunda edição do Prêmio BNDES de Boas Práticas para Sistemas Agrícolas Tradicionais (SATs).

A iniciativa tem o objetivo de reconhecer e divulgar boas práticas de salvaguarda e conservação de bens culturais imateriais associados à agrobiodiversidade e à sociobiodiversidade. O lançamento faz parte da programação da 8ª edição do Green Rio, um dos mais importantes eventos de bioeconomia do Brasil, realizado até o dia 25, na Marina da Glória, Rio de Janeiro (RJ).

Na oportunidade, também será lançado o terceiro volume da Coleção Povos e Comunidades Tradicionais – Sistemas Agrícolas Tradicionais do Brasil, editado pela Embrapa, sobre as quinze experiências premiadas na primeira edição do prêmio e outras iniciativas em SATs no Brasil. Entre as autoridades presentes, o evento terá a participação da secretária de Inteligência e Relações Estratégicas da Embrapa, Rita Milagres.

O Prêmio BNDES é uma realização do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO). As inscrições estarão abertas no período de 10 de junho a 31 de outubro. Serão premiadas até dez experiências consideradas boas práticas de SATs já realizadas ou com etapas já concluídas, tendo como base a data de publicação do edital.  Os três primeiros colocados receberão o valor bruto de R$ 70 mil, e os demais o valor de R$ 50 mil. Ações que foram premiadas na primeira edição do Prêmio BNDES não poderão participar da seleção.

“Desde 2015, quando foi concebido o Prêmio BNDES, a Embrapa participa da iniciativa e, em setembro de 2017, quando foi assinado o acordo de parceria, passamos a integrar os comitês gestor e de seleção e avaliação”, conta a pesquisadora Jane Simoni, da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas (Sire), da Embrapa. Sede da cerimônia de premiação em 2018, a Embrapa também promoveu um seminário de capacitação especial para os premiados, com presença de autoridades governamentais, gestores, sociedade civil, pesquisadores e estudantes.

Segundo ela, o prêmio representa uma oportunidade de mostrar a riqueza das experiências que representam a diversidade dos modos de vida de povos indígenas e comunidades tradicionais, que atravessaram gerações com seus saberes ancestrais. “Essas ações tem como pressuposto a participação, o apoio à construção da autonomia e o envolvimento dessas comunidades”, concluiu.

Na primeira edição do Prêmio BNDES SAT, a Associação de Mulheres Trabalhadoras Rurais (AMTR), do Lago do Junco (MA) foi a vencedora. Em segundo lugar, ficou a Associação dos Produtores Rurais de Vereda, de Matias Cardoso (MG); em terceiro, a Associação dos Remanescentes de Quilombo de São Pedro, de Eldorado (SP), na quarta colocação, a Associação Comunitária Rural de Imbituba, de Imbituba (SC) e em quinto lugar, foi premiado o Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA). Ao todo, 15 iniciativas receberam a premiação. Foram inscritas 58 instituições representando experiências de diversas regiões brasileiros.

O que são Sistemas Agrícolas Tradicionais

Um Sistema Agrícola Tradicional é definido pelo edital como um conjunto de elementos, desde os saberes, mitos, formas de organização social, práticas, produtos, técnicas e artefatos e outras manifestações associadas, formando sistemas culturais que envolvem espaços, práticas alimentares e agroecossistemas manejados por agricultores familiares  pertencentes a povos e comunidades tradicionais.

Quem pode se candidatar ao Prêmio BNDES

Instituições de direito privado, sem fins lucrativos, com existência mínima de dois anos, contados a partir da data de publicação do Edital, a ser comprovada por meio do registro dos seus atos constitutivos no órgão competente. As instituições deverão, ainda, comprovar composição ou parceria com comunidades de agricultores tradicionais.

Maiores informações sobre  como se cadastrar, informações sobre contatos , emails e telefones estão disponíveis no site da Embrapa que você pode ser redirecionado clicando aqui.

Fonte Embrapa