Solúvel brasileiro ganha marca única para promoção mundial

0
5
eliasfalla (CC0), Pixabay

No primeiro semestre de 2019, as exportações brasileiras de café solúvel aumentaram em 9,6% em volume

Você sabia que o café solúvel surgiu em 1901? O químico japonês Satori Kako inventou um café em pó instantâneo, vendido na Exposição Pan Americana de Nova York. Foi muito consumido durante a Segunda Guerra Mundial e chegou ao Brasil em 1953. Mas foi a partir da década de 1960 que surgiu a produção no país. Desde então, o Brasil é líder mundial de produção e exportação de café solúvel.

No primeiro semestre de 2019, as exportações brasileiras de café solúvel aumentaram em 9,6% em volume, quando comparado com o mesmo período do ano passado, totalizando o equivalente a 1.861.793 de sacas de 60 kg. A receita cambial acumulada no período foi de quase US$ 275 milhões. Os principais destinos foram Estados Unidos, Rússia, Indonésia, Japão e Argentina.

Pensando em divulgar cada vez mais ao consumidor o café solúvel, a Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (ABICS), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), lançaram uma marca setorial.

Intitulada Crie & Curta (versão em inglês – “Explore&Enjoy”), a marca foi criada pela agência GAD com o objetivo de promover a experiência de consumo do produto, apresentando a variedade e a riqueza de possibilidades, até mesmo no uso em receitas. Um selo irá estampar as embalagens dos produtos exportados e os que ficam no mercado interno, assegurando a origem e qualidade.

Eliana Relvas é engenheira de alimentos e consultora de café solúvel da ABICS para o mercado interno. Ela afirmou que o desafio desta campanha é como explicar de maneira simples e educativa todo o processo do café solúvel, qual diluição mais agrada, como preparar. “O café solúvel é prático para aquelas pessoas sem tempo que preparam o café, tomam e saem correndo. Além disso, ele pode ser levado para qualquer lugar. A ideia é atrair novos públicos e mudar aos poucos o paladar do consumidor”.

Pedro Guimarães, presidente da ABICS, acredita que essa nova iniciativa traz ânimo e é um caminho para fomentar e crescer o consumo de café solúvel no Brasil, agregando valor, com produtos de maior qualidade, feitos a partir de cafés especiais e mais tecnologia. “Agora com a campanha começamos a divulgar e fazer atividades levando ao público mais informações sobre o que é, como é feito, uso prático, difundindo, assim, no mercado o que é café solúvel. O segundo passo é experimentar e fidelizar o consumidor”, afirmou.

No final do mês de junho, o Brasil assinou um acordo com o Mercosul de livre comércio para fortalecer a marca Cafés do Brasil no bloco europeu, que é um dos maiores consumidores mundiais e um dos principais destinos do produto brasileiro. O diretor de Relações Institucionais da ABICS, Aguinaldo Lima, considerou o acordo entre Mercosul e União Europeia como “uma das maiores conquistas dos últimos tempos” para o setor. A ideia é que a taxa de exportação seja eliminada, atingindo zero no quinto ano.

O executivo contou que o acerto entre os dois blocos ocorre no momento em que a indústria nacional tem perdido participação na Europa, por causa da concorrência com países como o Vietnã, segundo maior produtor de café do mundo, atrás apenas do Brasil.

Em relação a este acordo, Pedro afirma que com a taxa zero será aberta uma revolução na indústria. “A Europa é nosso segundo maior destino, com quase 80 milhões de dólares de exportação, cerca de 500 mil sacas, isso com os 9% de imposto. Sem ele, acredito que em longo prazo poderemos crescer 35% em cinco anos”, concluiu.

Fonte Agrolink