Araucária aposta também na eficiência da genética bovina dos países nórdicos

0
6
22/07/14 – 14:58
Com o objetivo de trazer para a pecuária brasileira o melhor da pecuária mundial, o diretor da Araucária Genética Bovina, Marcelo Vezozzo, acaba de retornar da Dinamarca, com sêmen de mais 15 touros testados e aprovados na produção leiteira das raças sueca vermelha e jersey, escolhidos por características desejáveis para as condições brasileiras.

Vezozzo foi à região nórdica da Europa a convite da Viking Genetics, central formada e mantida pelos pecuaristas nórdicos (Suécia, Dinamarca e Finlândia), que produz seis milhões de doses anuais de sêmen, testando 500 touros por ano dentro de programa de melhoramento genético próprio mensurado pelo índice NTM – Mérito Nórdico Total, em que cada unidade corresponde a um ganho econômico de 10 euros na progênie do animal testado. Lá ele visitou centrais de coleta e testes de touros, propriedades de produtores e a maior exposição de pecuária da Dinamarca, onde os melhores animais são avaliados pela produção e morfologia.

“Os nórdicos medem a eficiência da sua pecuária de corte e de leite com a filosofia ‘da porteira para dentro’. Todos os índices de avaliação são relacionados com o desempenho econômico. O NTM assegura ao produtor o que realmente o reprodutor pode dar de retorno em Euros, através das suas progênies. Assim é medido o desempenho de seus descentes nos aspectos de produção saúde e funcionalidade nas fazendas dos produtores. Tudo tem que estar em perfeito equilíbrio para gerar o menor custo e a melhor lucratividade possíveis”, conta Vezozzo.

Segundo ele, a genética desses países se enquadra muito bem na filosofia de trabalho da Araucária que sempre foi a de trazer para os pecuaristas brasileiros touros melhoradores que proporcionem o melhor desempenho possível em lucratividade dentro da pecuária produtiva e eficiente economicamente, tanto para quem usa baixa, média ou alta tecnologias de produção. “O mais importante para o produtor é a sustentabilidade da atividade.

É o fechamento das suas contas. Por isso que a Araucária não é simplesmente uma empresa que vende sêmen. Vendemos soluções de produtividade e eficiência, desde o planejamento da atividade, passando pelo manejo e finalizando com o melhor produto acabado e valorizado no mercado consumidor”, garante Vezozzo.

A Araucária trouxe para o Brasil a genética dos países nórdicos há quatro anos. Da raça sueca vermelha da qual e empresa é líder em venda na América do Sul, são 12 touros em seu portfólio e agora estão chegando mais 10. Os resultados da utilização desta raça nos cruzamentos com outras raças leiteiras são excelentes e comprovados por criadores do Brasil, aumentando a saúde, fertilidade, produtividade e qualidade do leite nos rebanhos. Da raça jersey vieram da Viking Genetics oito reprodutores e nos próximos dias chegarão a genética de mais cinco. A criação de animais desta raça está crescendo muito no Brasil pela sua excelente capacidade produtiva tanto em rebanhos puros como no cruzamento.

“Escolhemos pessoalmente, através de visitas a fazendas, os melhores reprodutores para as nossas condições e com os mais altos índices de NTM. Isso significa que um touro nórdico com índice NTM +10 vai proporcionar um incremento no resultado econômico de sua progênie de 10 euros a mais ou R$ 300,00, no final da primeira lactação de suas filhas. O mundo vem reconhecendo a excelência dos animais produzidos hoje na Suécia, Dinamarca e Finlândia, tanto é que encontramos por lá técnicos da África do Sul, Estados Unidos, Canadá e de outros países da Europa em busca da genética, principalmente das raça jersey e sueca vermelha para incrementar a produtividade de seus rebanhos”, garante Vezozzo.

A empresa está trazendo também sêmen sexado de reprodutores, com índices NTM positivos para atender os criadores mais exigentes do mercado brasileiro que desejam emprenharem suas matrizes com garantia de nascimento de fêmeas.

Agrolink com informações de assessoria