Alemanha mira nos cultivos orgânicos

0
3
dbreen (CC0), Pixabay

06/02/2019

A Alemanha está trabalhando para conseguir suprir a sua forte demanda por alimentos orgânicos aumentando a compra dos produtos norte-americanos. De acordo com o novo relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o país europeu se destaca a nível mundial nessa questão.

“A Alemanha é o segundo maior mercado orgânico do mundo, com boas perspectivas para os produtos orgânicos dos EUA, como nozes, frutas e legumes e produtos alimentícios processados. O mercado orgânico alemão é fundamentalmente dependente das importações para atender às demandas dos consumidores”, diz o texto.

Nesse cenário, as vendas de alimentos orgânicos na Alemanha aumentaram acentuadamente nos últimos anos, atingindo um pico em 2017 com a comercialização chegando a mais de 10,03 bilhões de euros, ou US$ 12,37 bilhões. Isso representa quase um terço do total de vendas de alimentos orgânicos na União Europeia e quase 4% do total de alimentos comercializados na Alemanha.

“Desde 2000, as vendas de alimentos orgânicos na Alemanha mais do que triplicaram. A produção doméstica é incapaz de atender à demanda, levando a maiores volumes de importação (e valores). Somando-se a crescente participação de mercado de alimentos orgânicos importados, estão aumentando os preços dos produtos convencionais, o aumento dos preços da terra (venda e aluguel) e a persistente incerteza sobre o apoio financeiro para a agricultura orgânica”, informa o USDA.

As vendas de alimentos orgânicos na Alemanha são divididas entre as empresas tradicionais de varejo de alimentos, como as mercearias por exemplo, e lojas especializadas de alimentos orgânicos, sendo que essas últimas foram o grande impulsionador para esse aumento.

 

Fonte: Agrolink