A importância da fumigação no manejo das colméias

0
37

autor: Redação MUNDO RURAL – data: 21/07/11

­

O objetivo da fumigação não é tontear as abelhas, mas sim, fazê-las crer que há perigo de incêndio, pois elas também acreditam que “onde há fumaça, há fogo”. Por essa razão, correm logo a encher o papo com mel para que, se necessário abandonar a colméia, possam levar a maior quantidade possível, como garantia da sua sobrevivência, para a construção dos favos e para a sua alimentação.

Como sabemos, as abelhas carregadas de mel ficam mansas, pois não querem arriscar a perder sua preciosa carga, não por “egoísmo”, mas devido ao instinto que as leva a querer garantir a sobrevivência de toda a colônia.

Qualidade da fumaça

Como é o resultado da queima dos materiais colocados no fumigador, sua qualidade depende da escolha dos elementos combustíveis. Por isso, é preciso muito cuidado, pois um produto inadequado pode causar sérios danos e até intoxicar e matar as abelhas.

Essa escolha é muito fácil, pois são os materiais mais baratos e mais fáceis de encontrar que produzem as fumaças mais indicadas para a fumigação. Entre eles, temos as cascas de árvores, folhas secas, sabugo de milho, panos e estopas vegetais, pedaços de madeira, etc. Podemos adicionar um pouco de própole, para que a fumaça fique com um cheiro agradável para as abelhas e para o apicultor, cujas roupas não ficarão com um cheiro desagradável.

Não devemos queimar, nos fumigadores, materiais plásticos, panos encharcados em querosene ou óleo mineral, fumo, enxofre, etc., porque produzem fumaça irritante ou tóxica, que podem causar graves danos às abelhas.

Como aplicar a fumaça corretamente

Para a operação de fumigação, o apicultor deve seguir algumas regras básicas, que definem as condições da aplicação e da própria fumaça, que deve:

– ser aplicada de forma constante;

– estar fria, para não “sapecar” as asas e pêlos das abelhas ou mesmo queimá-las;

– não deve ser tóxica;

– não deve apresentar odores fortes;

– não deve ser aplicada em jatos fortes. Para isso, devemos regular a saída da fumaça, para que seja constante e mais ou menos forte, de acordo com as necessidades (mais intensa para as africanas);

– evitar que a fumaça, ainda quente, atinja as abelhas;

– dirigir o jato para onde seja mais necessário, mas não introduzir o bico do fumigador entre os favos ou dentro do alvado;

– só aplicar a fumaça quando preciso e somente durante o tempo necessário.

Quando houver outras colméias muito próximas, devemos dar umas 3 baforadas nos seus alvados, pois essas vizinhas podem se irritar com o movimento nas suas proximidades e atacar, prejudicando os serviços.

 

Fonte: http://jornalmundorural.com.br/artigos/artigos.php?subaction=showfull&id=1311292146&archive=&start_from=&ucat=5&

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here