Pecuária

Wokshop discute pesquisa do leite para o futuro com lideranças da cadeia produtiva

07/06/2016

Evento dá início as comemorações de 20 anos de pesquisa em pecuária leiteira na Embrapa. Agenda de atividades técnicas está programada até o final do ano, com a partipação de sindicatos, indústrias, cooperativas, associações e instituições de ensino, pesquisa e extensão.

Nesta quinta-feira, 2 de junho,  foi dada início a programação de comemoração aos 20 anos do Sistema de Pesquisa e Desenvolvimento em Pecuária Leiteira (Sispel), pertencente a estrutura da Estação Experimental Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado (Pelotas,RS).  O Workshop Sispel + 20 reuniu as principais lideranças do setor leiteiro do RS para discutir o desenvolvimento de atividades da cadeia produtiva para os próximos anos. A agenda contou com apresentação da carteira de Pesquisa & Desenvolvimento e Inovação (P&DI) da pesquisa agropecuária voltada a bovinocultura de leite e seus avanços mais recentes.

O Workshop integrou as instituições de P&DI com a cadeia produtiva do leite, no sentido de apresentar as principais tecnologias, processos, produtos e serviços (TSPs), que a Embrapa disponibiliza para a sociedade, assim como discutir as tendências e elencar as prioridades para o desenvolvimento da Bovinocultura de Leite para os 20 anos seguintes.

“A intenção é buscar um feed back do setor produtivo para direcionar o foco em ações futuras, incluindo o apoio da cadeia”, esclareceu a coordenadora do evento, a pesquisadora Maira Zanela. Para o chefe-geral, Clenio Pillon,  a  intenção é proporcionar um momento de escuta e discussão para onde a Embrapa deverá seguir seu plano de trabalho.

“Queremos ouvir e fazemos questão de construir junto aos representantes, dos diferentes elos da cadeia produtiva, quais são os focos de pesquisa, os principais gargalos, demandas e desafios para ser incorporado rapidamente nos nossos processos de pesquisa”, comentou Pillon. Já, o presidente do Sindicato da Indústria Laticínios e Produtos Derivados do Rio Grande do Sul (Sindilat), Alexandre Guerra, citou a importância das empresas manterem foco em inovação, sustentabilidade e competitividade, respeitando os valores e tendências de uma economia globalizada. “Foi um importante encontro para tomarmos conhecimento dos projetos que a Embrapa já desenvolveu e também para discutirmos a construção de novos projetos que levem em conta as necessidades do campo e da indústria”, destacou o presidente do Sindilat.

Durante a manhã, no auditório Terras Baixas, da Estação Experimental da Embrapa, situada ao lado do Campus Universitário da UFPel, em Capão do Leão/RS, foram apresentados o histórico de criação, a estrutura física e tecnológica, e as as principais TSPs produzidos pelo Sispel, além de apresentar os projetos de pesquisa e as ações de Transferência de Tecnologia (TT) em andamento e as atividades demandadas para o futuro. Apresentaram esse relato os pesquisadores Darcy Bittencourt, Maira Zanela, Jorge Schafhauser, Lígia Pegoraro e os analistas de TT, Rogério Deretti e Sergio Bender.

Os participantes do Workshop realizaram manifestações sobre suas demandas e necessidades para busca de melhoria no sistema de produção de leite gaúcho. Estiveram presentes o presidente do Sindilat, Alexandre Guerra, os representantes da Nestle; das cooperativas Santa Clara, Cooperipê, Cosulati, Cooperativa Aurora, Coopar, Coopeagri, Cooper A1, Coasa, Cooper Auriverde, Cooperlate e Copérdia/SC; UFPel, Unicafes; Emater/RS; IGL e Associação de Criadores de Gado Jersey do RS.

Demandas da Cadeia do leite

Foram levantadas pelos participantes algumas demandas iniciais discutidas no Workshop como a realização de pesquisas sobre sistemas de produção de leite sustentáveis, considerando as características regionais de produção; melhoramento de forrageiras visando a resistência à seca  e  excesso de chuvas; a qualidade do leite com foco em pesquisas sobre inconformidades e parâmetros legais; ferramentas para gestão de unidades de produção de leite e avaliação da eficiência dos sistemas de produção; estudos para redução de falhas reprodutivas; desenvolvimento de equipamentos para pequenas propriedades; estudos visando aumento da sucessão familiar; e avaliação de impacto das tecnologias.

Agenda dos 20 anos do Sispel

• Workshop SISPEL + 20
• Expointer 2016  (27/08 a 04/09)
• Dia de campo do Leite e Leilão de animais ( 15/09)
• Seminário Técnico Leite – SISPEL 20 anos de pesquisa (17 e 18/11)
• Lançamento Livro Técnico Leite
• Lançamento Livro SISPEL 20 anos
• Matérias técnicas Terra Sul
• Elaboração de Multimeios para divulgação

Projetos em andamento – Arranjo Leite Sul

Avaliação da prevalência e dos fatores de risco das principais doenças da reprodução em bovinos de leite de diferentes regiões do Rio Grande do Sul;
Tabela de composição e valor nutritivo de alimentos regionais associada a software para formulação de dietas de máxima eficiência bioeconômica para bovinos leiteiros do Rio Grande do Sul;
Uso da irrigação para produção de leite em pastagens cultivadas no Rio Grande do Sul – IRRIGFOR Morfofisiologia de Azevém manejado em diferentes intensidades e frequência de corte;
Fatores nutricionais que afetam a produção e composição do leite bovino: uso de fitoquímicos na dieta de novilhas, vacas em lactação e terneiros;
Avaliação de metodologia de coleta de amostras de leite por sistema de coleta automática, acoplado aos caminhões, nas condições regionais de produção e transporte;

Projetos Futuros – Arranjo Leite Sul

*Melhoramento genético de leguminosas forrageiras exóticas para o Sul do Brasil LEGSUL – Desenvolver novas cultivares de importantes leguminosas forrageiras adaptadas às diferentes condições edafo-climáticas e sistemas de produção do Sul do Brasil.
*Otimização do forrageamento em sistemas de produção de leite a pasto da agricultura familiar no Noroeste RS. OTIMIZAFOR – Contribuir para o aumento da eficiência e competitividade de sistemas de produção de leite a pasto no Noroeste do RS.
*Coproduto da extração de azeite de oliva na alimentação de bovinos de leite: aspectos produtivos, funcionais e nutracêuticos. ORUJO – Agregar ao leite moléculas bioativas presentes na Oliva; melhorar a saúde e a longevidade produtiva das vacas
*Pontos Críticos da Qualidade do Leite – Caracterizar os sistemas de produção de leite do RS, identificar os pontos críticos à melhoria da qualidade do leite, capacitar técnicos na identificação de inconformidades e na tomada de decisões a campo.
*Tecnologias para o Bem Estar Animal na pecuária leiteira – Validar e fomentar o intercâmbio de conhecimentos e adoção de práticas de manejo e tecnologias para o bem estar animal na pecuária leiteira.

TSPs do Leite

Lina – Diagnóstico do Leite Instável Não-Ácido
Mastite – Recomendações técnicas preventivas
Guaxinha Jersey – Instalações para criação de terneiras
Concurso Leiteiro de Sólidos – Regulamento
Leite de Búfala – Conhecimento dos Sistemas de Produção de Leite de Búfala
Desenvolvimento e recomendação de cultivares forrageiras – BRS Ponteio azévem anual, BRS Resteveiro trevo persa, BRS Kurumi capim elefante anão, BRS Adelino capim lanudo
Produção e qualidade de forrageiras e pastagens no Sul do RS
Sistema de recria de fêmeas leiteiras em pastagens
Nutrição e alimentação de vacas leiteiras
Integração Lavoura-Pecuária
Inovações em Técnicas de reprodução e fertilização

Além disso há diversos projetos em Transferência de Tecnologias como o Protambo -Transferência de tecnologias para o desenvolvimento da atividade leiteira no RS com base nas boas práticas agropecuárias, com o CONFIE, Emater/RS, Funcap, Cooperativa Santa Clara,  Redeleite, Sindilat/Cosulati e Associação de Criadores de Gado Jersey do Rio Grande do Sul (ACGJRS); exposições-feiras, cursos e oficinas realizados no Estado; formação de mais de 600 estágios nas diferentes áreas acadêmicas das Ciências Rurais;  realização de 95 eventos técnicos, com o envolvimento de 3.120 pessoas.

Fonte: Embrapa