Cana de Açúcar

Weber Haus colhe safra recorde de cana de açúcar 100% orgânica

06/03/2014

Produção de cana alcançou 252 mil toneladas, que geraram a destilação de 255 mil litros de cachaça, 41% superior à safra anterior

A Weber Haus colheu uma safra recorde de 252 mil toneladas de cana de açúcar 100% orgânica na safra 2013. A destilação da matéria-prima de excelente qualidade somou 255 mil litros de cachaça – 41% superior à safra de 2012, até então a maior já colhida no alambique artesanal, com canaviais situados em Ivoti, na Rota Romântica do Rio Grande do Sul, a aproximadamente 80 Km de Porto Alegre. “Foi a maior e melhor safra de cana da história”, comemora o diretor Evandro Weber.

O clima favorável explica o resultado positivo da atual safra, que teve produtividade de 126 toneladas por hectare de cana – 20% maior do que na safra anterior. Evandro Weber explica que o verão passado teve bastante calor. Com isso, a cana se desenvolveu melhor. No inverno, o frio não foi tão rigoroso e não foi registrada nenhuma geada. “Tivemos as melhores condições climáticas dos últimos anos”, destaca o produtor. A cana colhida nesta safra na Weber Haus estava mais bonita e mais doce do que em anos anteriores – com um Brix Médio (índice de açúcar natural) de 23%, acima dos 19% de anos anteriores.

Safra dura seis meses

A colheita de cana na Weber Haus dura praticamente seis meses – de julho a dezembro. Este ano, invadiu o mês de janeiro. “Colhemos praticamente todos os dias. Isso porque usamos pouca mão de obra, especialmente da família, e preferimos destilar a matéria-prima aos poucos”, observa Evandro Weber. “É uma boa oportunidade para os visitantes acompanharem a produção de nossas cachaças artesanais”, diz ele.

As variedades de cana de açúcar utilizadas na produção da Cachaçaria Weber Haus são crioulas, ou seja, da própria região (a cana vermelha e a branca), escolhidas por sua adequação ao solo, características de manejo e grau de doçura. A cana cultivada só recebe tratamentos ecológicos no plantio, na capina, no corte e na rebrota.

Evandro Weber explica que, para evitar a acidez na fermentação, o intervalo entre o corte da cana e a moagem é reduzido a poucas horas. É também na moagem que são tomadas as primeiras providências de higiene, de decantação e de filtragem, para obter uma garapa (caldo da cana) de boa qualidade. “Com a garapa em condições e em graduações adequadas de sacarose (doçura), o processo de fermentação, a partir de componentes orgânicos, ocorre de maneira mais natural possível”, relata.

Fonte: Agrolink