Vitrine de Tecnologias do Trigo

Com a presença dos pesquisadores Luiz Alberto Cogrossi Campos e Juarez Campolina Machado do Iapar – Instituto Agronômico do Paraná, mais o pesquisador Luiz da Embrapa, foi realizada no dia 13 de julho na Estação Experimental Luiz Natal Bonin, do Instituto em Cambará, a Vitrine de Tecnologias de Trigo 2010.

O evento promovido pelo Instituto, Embrapa e Fundação Meridional de Apoio à Pesquisa Agropecuária, apresentou aos produtores e técnicos presentes três experimentos: dois deles com a apresentação de novas variedades e um destinado ao tratamento e manejo de adubação Nitrogenada no trigo.

De acordo com Luiz Alberto Campos, este ano o Paraná está plantando de 15 à 20% menos trigo do que em 2009. A Vitrine deu ênfase à variedade IPR 144, que tem como principal característica, a tolerância à Brusone, Ferrugem, e outras doenças, além da Giberela, que no Norte do Paraná tem pouca incidência. “O trigo produzido no Norte do Paraná sofre mais ataque da Bruzone. No ano passado no período de floração das lavouras as temperaturas estiveram muito altas, em torno de 22 e 25 graus centígrados, e a incidência da doença foi muito grande. Como ainda não se criou um fungicida 100% eficiente no combate à doença, a pesquisa trabalha para produzir sementes mais resistentes à Bruzone”, informou Campos.

Ainda segundo o pesquisador, 2009 foi um dos anos mais favoráveis à produtividade e a qualidade do trigo paranaense. Disse ainda, que a variedade mais plantada no Estado é a CD 104, produzida pela Coodetec, porém em termos de qualidade, a IPR 85 criada pelo Iapar em 1999 é o melhor material em termos de Cone Sul. Ele destacou também, que as variedades IPR 85 e IPR 144, permitem aos produtores rurais manterem em atividade, o melhor Sistema de plantio agrícola do mundo, formado pelas culturas trigo, soja e milho. “Em nenhuma outra parte do mundo, os produtores rurais conseguem produzir ao mesmo tempo trigo, soja e milho, ou retirar o trigo e plantar imediatamente a soja. Só no Brasil isto é possível. Nos Estados Unidos por exemplo, eles tem que esperar derreter a neve para realizar a colheita do trigo, e isto demanda tempo. Para que este ciclo do Sistema brasileiro continue, a pesquisa continua trabalhando para melhorar cada vez mais as variedades disponibilizadas aos produtores”, afirmou Luiz Eduardo Campos.

Segundo o pesquisador Juarez Campolina Machado, a variedade de trigo do Iapar mais antiga no mercado é a IPR 18, criada em 1992 e recomendada para outras regiões do Estado.

Fonte: http://cambara.prefeituramunicipal.net/ws/noticias/index.php?id=968