Curiosidades

Venda de orgânicos cresce 20% ao ano e gera oportunidades

06/03/2014

Em um momento em que a economia brasileira patina em índices baixos de crescimento, o mercado de produtos orgânicos tem apresentado desempenho extraordinário. A média é de 20% ao ano, segundo a coordenadora do Centro de Inteligência em Orgânicos (CI Orgânicos), Sylvia Wachsner. A expectativa é, neste ano, movimentar R$ 2 bilhões, estima Ming Liu, coordenador executivo da Organics Brasil, entidade de promoção interna e externa de itens orgânicos. As oportunidades no setor, portanto, são muitas. O Brasil se destaca principalmente na produção de vegetais, legumes e frutas, tanto para dentro do país quanto para fora. Contudo, há, segundo Liu, deficiências no fornecimento de produtos na cadeia animal, como laticínios, carnes e ovos. O segmento inclui ainda pães, bolos, geleias, sucos e mel. O que está por trás do crescimento de dois dígitos na venda dos orgânicos é uma nova atitude dos consumidores. “Eles estão mais interessados em adquirir produtos saudáveis, sem agrotóxicos e químicos, e que, ao serem produzidos, afetem menos o meio ambiente”, diz Sylvia. O crescimento da renda dos brasileiros influenciou, mas isso se refletiu também no setor de alimentos industrializados e não orgânicos. Para dar uma ideia de quanto as vendas ainda podem crescer, Sylvia ressalta: “Segundo uma pesquisa recente, menos de 5% da população sabe o que são alimentos orgânicos e quais seus benefícios”. Até por isso, o Ministério do Desenvolvimento Agrário, com a campanha “Brasil orgânico e sustentável”, planeja quiosques em cidades da Copa do Mundo para apresentar ao consumidor uma série de produtos. A ação deve se estender até as Olimpíadas de 2016. O mercado é composto por pequenos produtores, com áreas entre 1 e 10 hectares. Dados do Ministério da Agricultura mostram que 42% deles estão localizados no Norte e no Nordeste. No entanto, as oportunidades estão por todo o país, pois, como ressalta Liu, o que atrai nos orgânicos é a diversidade: “Não há homogeneização. Existem seis biomas diferentes no Brasil, com histórias diversas, e isso é um grande chamariz”.
Fonte: Jusbrasil Política
Autor: Carolina Salles