Pecuária

Venda de carne em ritmo lento não é suficiente para pressionar arroba agressivamente

Publicado em 09/06/2015

O feriado da última semana gerou a falsa impressão de que a oferta de bovinos terminados aumentou, já que as escalas dos frigoríficos evoluíram. No entanto, as vendas de carne em ritmo lento vêm fazendo com que as indústrias optem por abater menos, estratégia para controle dos estoques, o que contribui com o bom andamento das programações de abate.

O mercado externo também não colabora com o escoamento da produção. Em maio, o volume embarcado seguiu o ritmo dos meses anteriores e teve redução em relação ao mesmo período do ano passado. Mas este cenário não tem sido suficiente para pressionar negativamente a cotação da arroba, sinal de que há dificuldade de compra.

Assim, os frigoríficos muitas vezes ofertam valores maiores pela arroba a fim de adquirir bons lotes de animais. Na segunda-feira (8/6), a referência para o macho terminado subiu em nove regiões pecuárias, enquanto que apenas uma apresentou redução de preço. O mercado está firme.

Fonte: Scot Consultoria