Variedades

Variedade de milho Bt é discutida em Lucas

A Embrapa Milho e Sorgo, em parceria com a Fundação Rio Verde, promove discussão sobre o cultivo da variedade de milho Bt em Mato Grosso

Assessoria de Comunicação Aprosoja

O painel técnico ocorre na próxima segunda (21/11), às 16h, como programação paralela ao 11º Seminário Nacional de Milho Safrinha, com abertura prevista para 20h do mesmo dia, em Lucas do Rio Verde. A participação no painel é gratuita e não depende de inscrição no Seminário.

A proposta do painel é checar junto aos produtores como está sendo feito o manejo da variedade e fazer um diagnóstico do uso da cultivar em Mato Grosso. Os pesquisadores querem conhecer a opinião e as demandas de técnicos e de produtores mediante os desafios da cultura do milho Bt.

O pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo, Alexandre Ferreira da Silva, explica que entre outras questões o painel pretende checar como está sendo feita a área de coexistência entre o milho convencional e o Bt. “É preciso manter distâncias mínimas entre a área plantada com uma semente e outra”, pontua.

Ele complementa ainda que os produtores que escolhem o Bt precisam respeitar a área de refúgio – uma área obrigatória de plantio do milho convencional, mesmo que a preferência do produtor seja pelo Bt. “O manejo inapropriado ocasiona a quebra da resistência do Bt em relação aos insetos, ou seja, a perda de tecnologia desenvolvida”.

No Brasil há aproximadamente quatro anos, segundo a Embrapa Sorgo e Milho, o Bt é a principal alternativa do produtor ao plantio com milho convencional. Desenvolvido com resistência a insetos, ele é utilizado pelos produtores com o propósito de reduzir o número de aplicações de inseticidas na lavoura de milho safrinha.

Seminário Safrinha – Ocorre de 21 a 23 de novembro, em Lucas do Rio Verde, o 11º Seminário Nacional de Milho Safrinha. O evento tem como objetivo buscar novos e eficientes caminhos para o cultivo do cereal, reunindo profissionais para discutir e divulgar informações e tecnologias nas diferentes regiões produtoras de grãos no país.

O seminário é promovido pela Associação Brasileira de Milho e Sorgo (ABMS) e realizado pela Fundação Rio Verde, com patrocínio da Aprosoja, Cearpa, Sicredi, Nitral Urbana, Bayer, Basf, Syngenta, Pioneer, FMC, Dekalb, Bio Gene. Apoiam o evento o Sindicato Rural e a Prefeitura Municipal de Lucas do Rio Verde.

As inscrições variam entre R$ 50 e R$250 e podem ser feitas antecipadamente ou na abertura do Seminário. As vagas são limitadas. Outras informações no site www.seminariomilhosafrinha.com.br.

 

Fonte: http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php?tit=variedade_de_milho_bt_e_discutida_em_lucas&id=65537