Utilização de ferro quelatado em substituição ao ferro dextrano na fase pré inicial dos leitões

AUTOR:  Daniel Pigatto Monteiro (Diretor Superintendente-TECTRON), Antoniel Pospissil Gonçalves Franco, Bruna Maria Remonato, Sebastião Gonçalves Franco

 

Resumo: Realizou-se um experimento em condições normais de c ampo com o objetivo de avaliar os efeitos do fornecimento de um suplemento alimentar ultra precoce rico em ferro quelatado em pó (SAUP) em leitões neonatos, comparativamente à administração parenteral de ferro dextrano, sobre parâmetros zootécnicos, hematológicos e sanitários dos leitões. Foram utilizados 176 leitões neonatos, provenientes de 16 partos, divididos em dois tratamentos: o primeiro, denominado T1 (n=88), correspondente à habitual administração parenteral de ferro dextrano aos dois dias de idade. No segundo, chamado T2 (n=88), os leitões receberam um suplemento alimentar ultra precoce rico em ferro quelatado em pó, fornecido do segundo ao décimo segundo dias de idade. As variáveis analisadas foram: peso corporal, concentrações de hemoglobina e de glicose sanguíneas, índice de ocorrência de mortalidades, artrites e diarréias, sendo as avaliações individuais. Ao final do experimento não foram constatadas diferenças significativas (P > 0,05) entre os pesos corporais médios nos diferentes tratamentos, entretanto para o grupo de animais consumindo SAUP, ocorreu aumento significativo (P < 0,05) nas concentrações de hemoglobina e de glicose no sangue. Estes animais apresentaram diminuição (P < 0,05) na incidência de mortalidades e de diarréias. A presente avaliação evidencia a efetividade da utilização de um suplemento alimentar ultra precoce rico em ferro quelatado em pó comparativamente às injeções de ferro dextrano.

Palavras-chave: alimentação ultra precoce, anemia, pré-inicial

 

Introdução

O uso de ferro injetável em leitões neonatos tem contribuído de maneira bastante significativa para a melhora do desempenho zootécnico dos leitões, pois durante a gestação, pouca quantidade deste mineral consegue ultrapassar a barreira placentária e ser estocado no fígado dos fetos para ser consumido logo após o nascimento. Também, o leite materno contém e fornece quantidades diárias limitadas, aquém das necessidades requeridas pelos recém nascidos. A não suplementação deste elemento mineral pode ocasionar anemia ferropriva e altas taxas de mortalidade dos animais na maternidade e este quadro anêmico, geralmente hipocromico microcítico, definido como a redução do número de eritrócitos ou quantidade total de hemoglobina no sangue circulante tem sido um grande problema na criação de suínos desde que os suinocultores iniciaram as criações em sistema confinado, privando os animais recém nascidos de acesso e contato direto com o solo, provedor natural de fontes de ferro, tornando-se necessário a administração deste logo no início da vida dos leitões.

Os efeitos negativos das injeções subcutâneas ou intramusculares de ferro dextrano são inúmeros, podendo citar a sensibilidade e dor no local da aplicação inibindo assim as mamadas, leitões anêmicos por baixa absorção de ferro devido às aplicações mal realizadas, febres e calafrios, artrites causadas por contaminação por Streptococcus suis e Escherichia coli tendo como porta de entrada o local da aplicação, além do risco da manifestação da grave e nova enfermidade denominada Circovirose. Vale ressaltar ainda que os leitões necessitam do fornecimento diário e constante de ferro suplementar, contudo neste caso é administrado aos leitões uma única e maciça dose de ferro via injetável. Por tudo isso, declinou-se pela realização deste experimento com o objetivo de se avaliar os resultados obtidos quando da utilização do ferro dextrano via injetável em comparação ao fornecimento de um suplemento alimentar ultra precoce, rico em ferro quelatado para leitões recém nascidos.

Material e Métodos

Utilizou-se para o experimento, uma sala de maternidade, onde foram alojados os animais recém nascidos dentro de uma mesma semana, de partos ocorridos de maneira natural e mantidos com a mãe até o desmame, ocorrido aos 21 dias de idade. O primeiro tratamento (T1), consistiu de um grupo de 88 leitões os quais receberam 200 mg de ferro dextrano via intramuscular, no músculo trapézio do pescoço, no segundo dia de vida e até o 12o dia após, nenhuma outra fonte suplementar de nutrientes foi disponibilizado aos animais deste tratamento. O tratamento dois (T2) consistiu de outro grupo de 88 leitões aos quais foi disponibilizado um suplemento alimentar ultra precoce, rico em ferro quelatado em pó para o consumo voluntário, dia sim-dia não, em comedouro apropriado para tal finalidade. No 12o dia de vida, todos os leitões, dos dois tratamentos, foram individualmente pesados e iniciou-se o fornecimento da ração pré inicial minipeletizada, que perdurou até o 21o dia de vida, quando ocorreu o desmame de todos eles, de todos os tratamentos.
As variáveis estudadas foram: peso vivo dos leitões nos dia 01, 12 e 21, 28, 35, 49, e 56 dias de vida; taxa de hemoglobina aos dias 01, 12 e 21 dias, análise feita in vitro, com a utilização de fotômetro digital, de acordo com o sistema patenteado B – Hemoglobina Hemo Cue; a taxa de glicemia, o efeito nas idades utilizando um monitor portátil digital para análise rápida de glicemia denominado Accu-Chek Active, e finalmente a taxa de mortalidade, ocorrência de artrites e diarréias durante o período que eles permaneceram na maternidade. Este experimento foi delineado em blocos casualizados, considerando a ordem dos ciclos reprodutivos das matrizes como sendo os blocos, divididos em dois tratamentos de oito matrizes cada. Os leitões, com acompanhamento individualizado ao longo do experimento, foram considerados as unidades experimentais, totalizando-se 88 repetições por tratamento. Objetivando-se a verificação de adequação à normalidade, para as distribuições que se adequaram à curva normal de Gaus, as variáveis dependentes foram comparadas estatisticamente pelo teste de Student-Newman-Keuls, ao nível de 5%, conforme sugere Pimentel (2000). Para as variáveis não paramétricas foram realizadas, utilizando-s e para comparação, os Testes Não Paramétricos Kolmolgorov e Smirnov, (KOLMOGOROV, 1941; SMIRNOV, 1948) e de Man e Whitney, (MAN e WHITNEY, 1947).

Resultados e Discussão

As variáveis dependentes: peso dos leitões, taxas de hemoglobina e taxas de glicemia adequaram-se, não apresentando diferença estatística significativa (P=0,05) pelo Teste de Shapiro-Wilk, à Curva Normal de Gauss, permitindo avaliações paramétricas por análise de variância. As variáveis dependentes de percentuais de mortalidade, de artrites e de diarréias na maternidade não apresentaram distribuição normalizada, conforme o mesmo teste (P=0,05), demandado pelas análises não- paramétricas. Ao longo do experimento, quando comparados os tratamentos, não foram observadas diferenças estatísticas significativas entre os pesos médios dos animais, em função da interação entre os tratamentos e os sexos dos leitões.

Estes resultados permitem inferir que não houve diferença estatística entre os dois suplementos de ferro utilizados, para ambos os sexos, evidenciando a segurança na substituição da atual forma de suplementação de ferro, dextrano injetável, pelo prático fornecimento via arraçoamento seco. A disponibilização de um suplemento alimentar aos leitões (suplemento alimentar ultra precoce (SAUP), logo ao segundo dia de vida, com o efetivo consumo deste produto, possibilitou aos leitões do grupo dois, uma maior concentração sangüínea de glicose (P=0,05), em detrimento aos leitões com administração intramuscular de ferro dextrano.

O precoce consumo de SAUP, além de leite materno, forneceu aos leitões uma fonte extra de nutrientes, uma vez que em sua composição, além de ferro, outros micro e macro minerais, assim como fontes de proteína, extrato etéreo, fibra bruta e cinzas foram encontradas. Para a avaliação bioquímica da taxa de glicemia, analisando os dados dos animais sexados, não foram observadas variações estatísticas significativas para os lotes machos ou fêmeas dos dois tratamentos ao nascimento. A taxa de glicemia foi superior para machos e fêmeas (P=0,05) pertencentes ao tratamento dois (SAUP) na segunda mensuração, realizada aos doze dias de vida, assim como na última avaliação realizada no dia do desmame, vigésimo primeiro dia. Os quelatos de ferro tem efeito duradouro e imediato sobre a taxa glicemica por permanecerem intactos no trato gastrintestinal (TGI) através de um complexo altamente estável, Smitz e Müller (1971), o que possibilita uma alta taxa de absorção, eficientemente ultrapassando as barreiras intestinais por estarem ligados a peptídeos simples (ASHMEAD, 1993).

Conclusões

A utilização de suplemento alimentar ultra precoc e rico em ferro quelatado em pó (SAUP) é efetivo no controle de anemia ferropriva em leitões. O fornecimento de SAUP determina maiores concentrações sanguíneas de hemoglobina e de glicose, reduz a mortalidade e problemas sanitários nas leitegadas no período de amamentação e substitui o uso das aplicações injetáveis de ferro dextrano.

Referências Bibliográficas

ASHMEAD, H. D. The roles of amino acid chelates in animal nutrition. Swine. Park Ridge: Noyes Publications, 1993. P. 207-230. KOLMOGOROV, A. Confidence limits for an unknown distribution function. Annals of Mathematical Statistics, Hayward, v. 12, p. 461-463, 1941. MANN, H. B. & WHITNEY, D. R. On a test of wether one of two random variables is stochastically larger than the other. Annals of Mathematical Statistics, Hayward, v. 18, p. 50-60, 1947. PIMENTEL GOMES, F. Estatística Experimental. São Paulo: Nobel, 2000. SMIRNOV, N. V. Table for estimating the goodness of fit of empirical distributions. Annals of Mathematical Statistics, Hayward, v. 19, p 279-281, 1948.

SMITZ, H., MÜLLER, A. Vergleichende Untersucung über die therapeutische Wirkung oral applizierter Eisen (II) – bzw. Eisen (III) – Antianämica. Arzneimittel Forschung, Aulendorf, v. 21, p. 509-515, 1971.

TECTRON Nutrição e Saúde Animal Ltda.

http://www.agromundo.com.br/?p=8372