Laranja

Uso Terapêutico dos Citros

Taíce Gonçalves de Oliveira1 e Sarita Leonel2

Desde os tempos mais longínquos, os homens utilizavam as plantas como recurso para melhorar suas condições de vida, aumentando a chance de sobrevivência. Os índios começaram a utilizar as plantas a partir de observação de animais. Como por exemplo, pode ser citada a casca-de-anta, que recebeu esse nome após os índios observarem que quando esses animais sentiam cólicas ou diarréia, comiam a casca dessa árvore. Além disso, algumas plantas recebiam denominação de mágicas, pois colocavam o homem em contato direto com os deuses, devido às suas propriedades alucinógenas.

Nos dias atuais, o conhecimento e uso de plantas como fonte terapêutica estão restritos às comunidades locais, por ser talvez o único recurso disponível, devido principalmente à distância ou ausência de um posto médico, o que dificulta o acesso da população a esses postos de atendimento.

Porém, com o crescente interesse das indústrias em produzir novos medicamentos, evidencia-se um aumento nas pesquisas com plantas que possuem potencial terapêutico. Pela cultura popular sabe-se que as frutas cítricas alimentam, fortalecem, previnem e tratam resfriados e gripes. Alguns estudos têm sido publicados no meio cientifico, nos últimos anos, relacionando as diversas atividades terapêuticas que os citros possuem. Alguns pesquisadores relatam que o consumo regular das frutas cítricas ajuda a prevenir algumas doenças, devido às substâncias químicas presentes em sua composição, dentre elas podem ser citados os flavonóides.

Os flavonóides são substâncias semelhantes às vitaminas e exercem ação antioxidante. Eles possuem ação anti-agregante plaquetária que diminui a agregação das plaquetas e a formação de trombos. O consumo regular de laranja, tangerina, lima, limão ou pomelo (grapefruit), no que diz respeito ao sistema cardio-vascular, colabora para diminuir o LDL(colesterol ruim) e os triglicerídios. Com isso, podem vir a ser prevenidos infartos e acidentes vasculares cerebrais. As frutas cítricas possuem ação antioxidante relacionadas à vitamina C e aos flavonóides.

A hesperidina, um dos flavonóides da tangerina e da laranja, auxilia na absorção da própria vitamina C desses alimentos. A vitamina C favorece a absorção do cálcio e do ferro. Suplementos destes minerais são melhores absorvidos com a presença da vitamina C. Saladas de folhas verdes escuras, que são fontes vegetais de ferro e cálcio, têm estes minerais melhor absorvidos quando temperadas com limão ou preparadas com tangerina ou laranja. Tangerina e pomelo possuem ação energética refrescante, tranqüilizante e, segundo a medicina chinesa, são indicadas para umedecer a boca, revitalizar tecidos e diminuir a ansiedade.

Estudo realizado por Zhou et.al (2008), revelou que a concentração plasmática da naringenina e hesperidina contidas no extrato da laranja ‘Azeda’ (Citrus Aurantuim L.) é melhor absorvido pelo corpo humano quando associadas a prática da acunputura auricular, ou seja, com essa associação o corpo absorve maiores concentrações dessas substâncias importantes para a saúde.[4]

O óleo essencial de cidra (Citrus medica L.) segundo estudo realizado por Essien et. al (2007), apresentou um amplo espectro de fungitoxicidade, inibindo as 14 espécies de fungos testadas. Assim, o óleo pode ser explorado como um fumegante contra fungos de armazenamento para a preservação das sementes de leguminosas armazenadas, devido à sua vasta gama de atividades, não fitotoxicidade, e de longa persistência de fungitoxicidade.[2]

O pomelo ou grapefruit (Citrus Paradisi Macf.) vem crescendo em importância nos últimos anos em função do reconhecimento às suas qualidades como alimento funcional e fitoterápico. São recomendados e consumidos em função da sua riqueza em vitamina C, carotenóides e limonóides, assim como pelas informações relativas aos seus efeitos na redução dos níveis de colesterol e de outras doenças. Com a ampliação do conhecimento sobre os benefícios dos carotenóides, particularmente, do licopeno na saúde, os pomelos pigmentados ou róseos passaram a ser alvo de maior atenção, conquistando novos consumidores. O licopeno por ser um antioxidante poderoso, apresenta ação sobre os radicais livres e o poder de combater doenças degenerativas. Informações recentes destacam que uma dieta de frutas com altos teores de caroteno e seus derivados está intrinsecamente ligada à redução de certos tipos de câncer e pode prevenir, inclusive, o câncer de próstata[1].

Laranjas

Segundo a Associação Brasileira de Citricultores (ASSOCITRUS), quanto mais ácida for a laranja, maior é o seu conteúdo de vitamina C. Ou seja, consumir uma laranja menos doce, de vez em quando é preciso. Encontrada o ano todo, a laranja pode entrar em pratos doces, salgados, virar suco, entre outros. É uma excelente fonte de potássio, essencial para a boa formação do sangue e dos músculos e rica em betacaroteno. A membrana branca (albedo) que recobre o suco da laranja contém muitas fibras e ajuda a combater o colesterol. Isso sem falar da substância que mais lhe dá fama, a vitamina C. Além disso, possuem vitaminas do complexo B e ainda, vitamina A.

A laranja tem outros usos, muito significativos hoje em dia. A casca é um ingrediente muito usado em geléias e licores. Perfumes e essências são feitos a partir do óleo essencial das flores e folhas.

O bagaço da laranja é ótimo para o intestino humano (regulador do trato intestinal). A laranja e a tangerina, sobretudo se comidas com o bagaço, ajudam a tratar a prisão de ventre. Suas fibras exercem ação de limpeza intestinal análoga à uma esponja que absorve gorduras e facilita na remoção das impurezas.

Pesquisa realizada pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual Paulista (UNESP), em Araraquara/SP, mostrou que a ingestão regular de suco de laranja pode ajudar a reduzir fatores de risco associados a problemas cardíacos. Pois, a ingestão do suco aumenta a quantidade de substâncias no organismo humano que auxiliam na proteção contra o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Mas não adianta consumir litros de suco de uma única vez, o ideal é manter o consumo regular de pelo menos um copo por dia. A pesquisa investigou, durante três meses, os resultados da ingestão diária de meio litro de suco em um grupo de 18 homens e 23 mulheres, com idades entre 30 e 60 anos. Após o período, foi constatado aumento de 17% nos níveis de colesterol bom (HDL) entre os homens e 6% entre as mulheres, além da diminuição do colesterol ruim (LDL) e de triglicérides (moléculas de gordura) no sangue dos indivíduos.

Recente pesquisa realizada por pesquisadores da Estação Experimental de Agricultura do Texas, nos Estados Unidos, indica que o suco também possui outros importantes benefícios. De acordo com os pesquisadores, isto se deve ao fato do suco de laranja e de outros cítricos, possuírem poderosos compostos naturais chamados limonóides, que ingeridos adequadamente, não produzem efeitos colaterais.

Referências

[1] Coelho, Y. da S.; Lederman, I.E. A Hora e a Vez dos Pomelos ou Grapefruits. Citros em Foco. Embrapa Mandioca e Fruticultura Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Cruz das Almas, BA. 24. 2004.

[2] Essien, E. P. ; Essien, J. P.; Ita, B. N.;Ebong, G. A. Physicochemical Properties and Fungitoxicity of the Essential Oil of Citrus medica L. against Groundnut Storage fungi. Journal Botanic Turk. 32: 161-164. 2008.

[3] Romero, T. Laranja para o coração. Agência FAPESP. 2006

[4] Zhou, J.; Qu, F.; Sang, X.; Burrows, E.; Nan, R. Auricular Acupressure May Improve Absorption of Flavanones in the Extracts from Citrus aurantium L. in the Human Body. The Journal of Alternative and Complementary Medicine. 14(4):423–425. 2008.
***

1 – Bióloga. Mestranda em Horticultura pela FCA/UNESP/Botucatu. E-mail: taice_oliveira@yahoo.com.br

2 – Prof. Adjunto. UNESP. Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu. E-mail:sarinel@fca.unesp.br

Data Edição: 31/01/2011
Fonte: TodaFruta

http://www.todafruta.com.br/portal/icNoticiaAberta.asp?idNoticia=23216