Mudas e Sementes

Três novas sementes são aprovadas na Argentina

08/03/2018

O Ministério de Agroindústria da Argentina aprovou a comercialização de duas variedades de milho e uma de soja melhoradas pela biotecnologia moderna. Um dos cultivos de milho aprovados incorpora genes múltiplos para aumentar o controle de insetos lepidópteros, bem como também a tolerância aos herbicidas glifosato e glufosinato. O outro possui resistência ao herbicidas 2-4D e ariloxifenoxi.

Em relação ao cultivo da soja, a característica é dar tolerância aos herbicidas glifosato, glufosinato e isoxaflutole, facilitando o controle de pragas resistentes a partir de herbicidas com diferentes mecanismos de ação.

A decisão se apoia no trabalho de um sistema regulatório para organismos geneticamente modificados, cuja autoridade de aplicação no país vizinho é a Secretaria de Alimentos e Bioeconomia do Ministério. Na avaliação dos produtos houve a intervenção da Comissão Nacional Assessora em Biotecnologia Agropecuária, do Centro de Referência para Biosseguridade da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Além disso, a inocuidade e aptitude alimentária foi avaliada pelo Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Alimentaria (Senasa), enquanto que o Instituto Nacional de Sementes (Inase) foi responsável pelos controles regulatório durantes as etapas de liberação experimental a campo.

“Essas três primeiras autorizações no início de 2018 são fruto da política de agilização que impulsamos como eixo da gestão. Neste caso, aplicada aos trâmites para incorporar inovações para o produtor. Nossos objetivos são incrementar a sustentabilidade, produtividade e exportaões agroindustriais”, disse o ministro Luis Miguel Etchvehere.

Os cultivos foram desenvolvidos pelas empresas Syngenta, Dow e Bayer, respectivamente, e dão ao produtor um novo aporte de ferramentes para facilitar o controle de insetos e pragas, além de mitigar a aparição de pragas resistentes graças à combinação de diferentes mecanismos de ação.

Fonte: Agrolink