Trigo

Tempo seco favorece colheita do trigo no Rio Grande do Sul

Rendimentos e qualidade do produto retirado das lavouras colhidas seguem confirmando a boa expectativa para esta safra

EMATER-RS
Com o tempo mais seco verificado nas regiões produtoras de trigo do Rio Grande do Sul, os produtores do Estado puderam processar a colheita sem maiores sobressaltos, avançando sobre 58% da área semeada este ano. Os rendimentos e a qualidade do produto retirado das lavouras colhidas seguem confirmando a boa expectativa para esta safra. O potencial apresentado pelos 33% que já se encontram aptos a serem ceifados, assim como os 9% que estão em fase final de formação do grão, também se apresenta em ótimas condições.
A área semeada com milho aumentou apenas dois pontos percentuais em relação à semana passada, chegando aos atuais 70%. Esse avanço, apesar de pequeno, pode ser considerado normal, uma vez que a atenção dos produtores, no momento, está voltada para o plantio da soja, cujo período preferencial para a semeadura é mais curto que o do milho. No norte e noroeste do Estado, onde o plantio ocorre mais cedo, as lavouras começam a entrar em fase de floração de maneira mais intensa, alcançando 2% do total já semeado. Segundo relatos de técnicos dessas regiões, o potencial produtivo dessas lavouras pode ser considerado muito bom, gerando expectativas de rendimentos acima da média.
O plantio das lavouras de soja segue em ritmo considerado normal, alcançando nesta semana 33% do total previsto e ficando em paridade com o observado no ano passado. Apesar das chuvas irregulares dos últimos dias, a germinação e o desenvolvimento inicial das plântulas ocorre sem maiores problemas. Se no plantio da safra a situação mostra avanço, na comercialização o produtor vivencia um período de recuo nas cotações da oleaginosa. Nesta semana, a saca de 60 quilos registrou nova queda, ficando cotada em R$ 41,36 para o produtor.
A colheita de laranjas e bergamotas na Região do Vale do Caí está terminada, encerrando mais uma safra. A lima ácida Tahiti, ou limão da caipirinha, continua em colheita em virtude de ter floração e produção durante todo o ano. Com o encerramento da safra de citros, os produtores realizam, no momento, o tratamento para o controle de doenças para as frutas que estão em desenvolvimento, resultado da floração de agosto e setembro. O pegamento foi muito bom nas bergamoteiras, prenunciando uma excelente safra em 2012. Em virtude da grande quantidade de frutas nas bergamoteiras, o raleio que será realizado a partir do mês de fevereiro também deverá ser intenso. Já a próxima safra de laranjas tem prognóstico inicial de redução, pois a queda de frutos jovens, ocasionada pelo fungo Colletotrichum acutatum, foi bastante intensa.
Com a entrada da primavera, os campos nativos do Rio Grande do Sul apresentam bom desenvolvimento vegetativo, em razão da boa distribuição das chuvas e elevação das temperaturas dos últimos dias. As pastagens cultivadas perenes e anuais de verão já implantadas também foram beneficiadas pelas condições climáticas favoráveis do período. Continuam os trabalhos de implantação das pastagens anuais e perenes de verão, especialmente milheto, sorgo forrageiro e tifton, assim como a realização de tratos culturais e implantação de lavouras de milho destinadas à silagem.
Devido às temperaturas amenas e à baixa umidade, o rebanho bovino apresenta bom estado sanitário, mas já começa a aumentar a ocorrência de carrapato e mosca do chifre. Por outro lado, as condições nutricionais dos animais não têm apresentado alterações significativas, pois as plantas forrageiras naturais apresentam boa massa verde, com vigoroso rebrote, restabelecendo suas condições de pastejo. Nas principais regiões produtoras de leite do Estado, apesar da falta de chuvas mais intensas, os solos ainda possuem umidade suficiente para o desenvolvimento das pastagens perenes e anuais de verão. Muitas áreas implantadas com forrageiras já estão sendo utilizadas, melhorando a oferta de pasto para os animais. Além disso, os produtores estão utilizando silagem, concentrados protéicos e minerais, e rações como suplemento para aumentar a produção e produtividade do rebanho.
Fonte: http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php?tit=tempo_seco_favorece_colheita_do_trigo_no_rio_grande_do_sul&id=65378