Pecuária

Tecnoleite: abertura destaca papel da assistência técnica

19/05/2016

Considerado o quarto colocado no ranking de produção leiteira do Brasil, Goiás ainda tem muito para evoluir. A observação esteve presente durante a abertura da Tecnoleite Complem 2016. A feira, realizada em Morrinhos – sexta maior bacia leiteira do estado, produzindo 80 milhões de litros de leite por ano – é classificada como uma das maiores no que diz respeito ao setor lácteo do estado. Durante a solenidade de abertura, o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás), Eurípedes Bassamurfo, fez questão de destacar a importância econômica do município e o quanto ele ainda pode crescer com assistência técnica de qualidade.

O superintendente discursou ao lado de autoridades e representantes da agropecuária goiana, fazendo questão de citar a falta de assistência técnica como maior desafio do setor. Para ele, a falta de informação e de acesso às novas tecnologias dificultam o aumento da renda e a formação de um olhar mais apurado em relação às novas demandas do mercado. “Estou falando de profissionalização para o homem do campo dentro de uma realidade onde apenas 9,3% dos produtores rurais recebem visitas regularmente. Não há assistência com foco na gestão técnica e econômica de propriedades rurais”, ressaltou Bassamurfo, que na ocasião estava representando o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), José Mário Schreiner.

Bassamurfo falou também sobre a importância de discutir modernidade e tecnologia com os produtores de leite em Goiás. “Eventos como esse faz com que as novas tecnologias, a inovação e a ciência como um todo possam ser aplicadas no meio rural. Com isso os produtores irão conseguir alavancar a produtividade na fazenda. Quem vem até a Tecnoleite tem a oportunidade de conhecer o que há de melhor para o setor, melhor sua produtividade e consequentemente sua qualidade de vida”, disse.Tecnoleite 2016 Larissa Melo 128Bassamurfo falou também sobre importância de discutir modernidade e tecnologia com produtores de leite em Goiás. Foto: Larissa Melo

O presidente da Complem, Joaquim Guilherme, também frisou a questão da cadeia produtiva do leite. “Temos que entender de genética, gestão e leite. Nosso setor é carente de conhecimento, de crédito, de planejamento e de respeito”, argumentou. O município de Morrinhos passou do quarto lugar para o primeiro no ranking de produtor de leite do estado, em três anos. De acordo com a última edição da pesquisa agropecuária de Produção Agrícola Municipal (PAM) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade é a 6° região com maior produção de leite em Goiás.

Presenças

Participaram da solenidade ainda o superintendente do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Goiás (Sebrae Goiás), Igor Montenegro; o prefeito de Morrinhos, Rogério Troncoso e o superintendente executivo de Agricultura, Antônio Flávio de Lima, que, na ocasião, representou o governador Marconi Perillo.

Tecnoleite 2016 Larissa Melo 113Presidente da Complem também frisou questão da cadeia produtiva do leite. Foto: Larissa MeloTecnoleite 2016

A feira, promovida pela Cooperativa Mista dos Produtores de Leite (Complem), segue até a próxima sexta-feira (20) com apresentação de técnicas e soluções para o aumento da produção e da competitividade da bacia leiteira de Goiás. Além das tradicionais palestras e oficinas, há espaço para demonstrações técnicas de equipamentos e implementos agrícolas; de cultivares e sementes; e um amplo espaço para exposição de animais e produtos.

A Faeg, o Senar Goiás, o Sebrae Goiás e o Sindicato Rural (SR) de Morrinhos integram a Tecnoleite com um stand com demonstrações e degustações dos produtos feitos pelos instrutores do Senar. Durante os dias de evento, o público contará com cursos como: Fabricação de Rapadura e Cachaça; Derivados do Leite; Transformação de Carne Suína em Linguiça e Defumados; Selaria e Trançados em Couro; Apicultura; Fabricação de Joias; Farinha da Comunidade Quilombola; Hidroponia e Artesanato.

Fonte: FAEG – Federação da Agricultura do Estado de Goiás